Em comunicado, o ministro egípcio de Antiguidades, Khaled al Anani, pediu para que “sejam tomadas as medidas necessárias” sobre o vídeo que “atenta contra a moral”.

Segundo a agência de notícias estatal MENA, foi divulgado "um vídeo publicado por um fotógrafo dinamarquês, em que surge a escalar a grande pirâmide, durante a noite com a amiga e grava, depois, situações sexuais". O homem foi identificado como Andreas Hvid, um fotógrafo especializado em fazer fotos em picos altos pelo mundo, a mulher seria Josephine Sarah. 

No vídeo, que foi publicado pelo fotografo, é possível ver o casal a escalar uma das pirâmides, durante a noite. Quando chegam, supostamente, ao topo, a mulher começa a tirar a roupa. No final da filmagem, aparece uma imagem fixa do casal totalmente nu numa posição sexual. O vídeo foi entretanto apagado e a sua autenticidade não foi confirmada até ao momento.

Segundo Zahi Hawass, arqueólogo e ex ministro de Antiguidades do Egito, em declarações à NBC News, “as imagens são photoshopadas”. Além de considerar que não há forma de alguém entrar nas pirâmides durante a noite, afirma que “essas não são as pedras da grande pirâmide. São muito pequenas”.

Caso se trate de uma imagem real, as penalidades variam e podem ser mais duras se houve algum dano à pirâmide. 

Não é a primeira vez que ocorre esse tipo de polémica sobre as pirâmides de Gizé. Em 2015, Andrej Ciesielski, um jovem alemão, foi preso e expulso para sempre do Egito por subir sem autorização a uma das pirâmides. Em março de 2017, a modelo belga Marisa Papen posou nua na esplanada das pirâmides de Gizé e acabou por ser presa no templo de Karnak, em Luxor, quando tirou as roupas para outra sessão de fotos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.