A receita do turismo internacional caiu 49,4% de janeiro ao final de julho de 2020 na França, mas o turismo nacional compensou parcialmente as perdas, disse Jean-Baptiste Lemoyne, durante uma reunião de gabinete.

Embora a catástrofe em termos de viagens para o exterior não poupe ninguém, a França parece resistir um pouco melhor do que alguns dos países vizinhos.

94% dos franceses que saíram de férias ficaram em França, o que indica que a queda prevista do gasto turístico em 2020, incluindo turistas franceses e estrangeiros, deve ser mais limitada do que em Espanha ou Itália, segundo o relatório.

Comparativamente, "em julho, primeiro mês de uma recuperação real da mobilidade internacional", a queda foi respectivamente de "-75% da assistência internacional para Espanha e -66% para Itália", contra -41% na França.

No entanto, Lemoyne pediu aos franceses que "continuem a apoiar" o turismo nacional nos próximos meses, que ele estima que serão "complicados".

"Além da hoteleria em Paris e nas grandes cidades", a organização de eventos e as agências de viagens são os dois setores que mais sofreram com esta crise, diz o relatório.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.