O Mausoléu de Augusto é dedicado a Augusto, que tomou as rédeas do poder em Roma, após o assassinato de Júlio César e transformou a República Romana no Império Romano, do qual se tornou o primeiro imperador. O próprio Augusto ordenou a construção do edifício trinta anos antes da sua morte em 14 AC e foi enterrado lá juntamente com outros membros da sua dinastia.

É o maior mausoléu circular da Antiguidade e os arqueólogos têm certeza de que era coberto de mármore branco e decorações quando foi construído, com uma estátua de bronze de Augusto no cume. Apesar da sua importância histórica e ao contrário de outras antiguidades da Roma Antiga, como o Coliseu e o Fórum Romano, o Mausoléu passou grande parte dos últimos 80 anos, abandonado, em ruínas e fechado ao público, segundo a CNN.

As obras de restauração começaram em 2008 e demoraram quase treze anos. A primeira parte do processo incluiu escavações arqueológicas e trabalhos de restauro, enquanto a segunda parte se concentrou em adaptar o Mausoléu para que pudesse receber turistas, construindo as infraestruturas necessárias e colocando painéis informativos e indicações.

O local será aberto aos turistas a 1 de março de 2021, com entrada gratuita para todos até 21 de abril - aniversário da fundação de Roma em 753 a.C., segundo a Reuters. Os interessados já podem reservar visitas de 50 minutos através do site do mausoléu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.