O lançamento dos resultados do estudo da IHG Hotels & Resorts coincide com o Dia Mundial do Sono, que se comemora a 17 de março, um dia anual dedicado a abordar questões importantes sobre o sono.

Estas foram algumas das principais conclusões do estudo:

- O viajante de negócios perde cerca de 58 minutos de sono por noite quando fica longe de casa, com uma média de apenas 5 horas e 17 minutos de sono.

- As maiores causas de uma noite de sono agitada para quem viaja são: ambiente diferente (44%); ruídos desconhecidos (35%) e trabalhar até tarde (35%).

O Dr. Steven W. Lockley, Professor Associado de Medicina, Harvard Medical School, e conselheiro da Healthe, disse: "Não é nenhum segredo que viajar pode ser um desafio para a nossa saúde, particularmente quando se trata de manter os nossos padrões normais de sono. A luz tem um papel importante no ambiente que redefine o relógio nos nossos cérebros todos os dias, que é facilmente descurado quando viajamos”.

Mais de dois terços (67%) dos entrevistados afirmaram que se sentem mais cansados quando estão longe de casa. Para ajudar a chamar o sono, 47% tenta ouvir música e 45% vê televisão.

"A luz também pode ser um estimulante, alertando diretamente o cérebro, ou promovendo o sono antes de dormir, dependendo do espetro e da intensidade da exposição à luz. Ter um maior controlo da exposição à luz ao viajar pode ajudar a promover o sono no momento certo ou a acordar na hora certa, preservando alguma sensação de normalidade do sono enquanto se viaja”, explica o médico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.