O foguetão New Shepard é relativamente pequeno, com um primeiro estágio de 18 metros de altura e conta com uma cápsula (como pode ver na imagem acima) onde, no futuro, seis passageiros poderão viajar durante 11 minutos além da fronteira do espaço, fixada por uma convenção internacional a 100 km.

Mas antes de implementar essas viagens turísticas, deverão ser realizados vários voos de teste com humanos a bordo. Nesta quarta-feira, a cápsula continha apenas experimentos científicos patrocinados pela NASA.

O primeiro estágio do New Shepard e a cápsula foram concebidos para ser reutilizados em vários voos. A primeira peça voltou automaticamente à pista de descolagem sete minutos após a saída e a cápsula, que se separou desse componente a 75 km para entrar sozinha no espaço, regressou à Terra numa queda travada por três paraquedas.

"Um dia incrível!", comemorou, enquanto comentava a missão ao vivo Ariane Cornell, diretora comercial da Blue Origin, a empresa espacial do diretor da Amazon, Jeff Bezos.

A altura máxima exata alcançada nesta quarta-feira será confirmada mais tarde pela Blue Origin, após a leitura dos instrumentos a bordo. Enquanto isso, o próximo desafio da companhia é testar o foguetão com humanos no interior.

"Estamos a planear para o fim do ano", disse Cornell. "Mas como já dissemos, não temos pressa".

A Blue Origin mostrou imagens da futura cápsula que acolherá passageiros, com seis grandes janelas, "as maiores da história do espaço", segundo Cornell.

Blue Origin
Nave da Blue Origin créditos: Blue Origin

Entretanto, a Virgin Galactic, do milionário britânico Richard Branson, está a desenvolver uma nave que é liberada no ar por um avião e conduzida por dois pilotos.

Nenhuma das empresas está preparada ainda para levar passageiros, pois os veículos ainda não foram submetidos a todos os testes necessários.

Cada líder diz ter privilegiado a segurança, mas o progresso dos testes das companhias, assim como as declarações de responsáveis levam a crer que 2019 será o ano dos primeiros voos regulares tripulados ao espaço.

Os bilhetes da Blue Origin não estão à venda, ao contrário dos da Virgin Galactic, que já indicou que mandará turistas ao espaço por 250.000 dólares por pessoa.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.