A descoberta consiste em dois fragmentos de pedra lavrada" dos monumentos "253a" e "253b" e na estela "86" que "correspondem ao período pré-clássico médio (800-350 A.C.) da era Olmeca", disse à impressa o ministro da Cultura, José Luis Chea.

O primeiro monumento encontrado é uma cabeça olmeca com símbolos de poder e corresponde a uma autoridade denominada "Abuelo" (avô), acrescentou a arqueóloga Christa Schieber, uma das especialistas que dirige a exploração no município de El Asintal, 125 quilómetros ao sudoeste da capital.

Descobertos monumentos olmecas de 2.500 anos de antiguidade na Guatemala
créditos: AFP

O monumento sinaliza "a plena intenção de mostrar o significado da descida dos céus do ancestral", explicou Schieber.

A segunda peça "primorosamente" talhada contém um emblema de ritual, enquanto a estela é lisa e pesa aproximadamente cinco toneladas, e em conjunto mostram "A descida do Avô", explicou.

Chea detalhou que as peças encontradas eram parte de outras estruturas "monumentais" que foram mutiladas "para marcar o fim do período pré-clássico médio, correspondente à ocupação olmeca e dedicadas ao início de um novo ciclo, de acordo com a era maia".

"Esta descoberta fortalece a proposta levantada pelos arqueólogos do sítio, que indicam que em Tak'alik Ab'aj deu-se a transição entre as duas culturas", detalhou o ministro.

Fonte: AFP

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.