O presidente do grupo, Dennis Muilenburg, publicou na sua conta do Twitter um vídeo onde partilha as novas perspetivas sobre o processo para uma nova certificação do modelo de avião 737 MAX, que não pode voar desde meados de março, devido a dois trágicos acidentes que ocorreram em menos de cinco meses.

"A Boeing finalizou o seu último voo de teste com o software MCAS atualizado no dia 16 de abril, um voo técnico-chave que antecede o voo de certificação com a Agência Federal de Aviação" americana (FAA), informa um comunicado do grupo.

Muilenburg garantiu que, no total, os pilotos de prova realizaram 120 voos, totalizando 203 horas com o software corrigido, cuja versão original é apontada como uma das causas nos acidentes com os 737 MAX das empresas Lion Air e Ethiopian Airlines.

O problema no software do sistema de estabilização dos 737 MAX ficou evidente após os acidentes na Indonésia, em outubro (189 mortos), e na Etiópia, em março (157 mortos), ambos logo após a descolagem.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.