Amesterdão vai proibir visitas guiadas ao famoso Red Light District, como forma de combater a superlotação e melhorar as condições de trabalho dos profissionais do sexo na região.

As autoridades disseram que os passeios pelas janelas causam “muita agitação e não respeitam os profissionais do sexo” e por esse motivo serão proibidos a partir de janeiro do próximo ano.

Além da proibição no Red Light District, as restantes visitas guiadas no centro da cidade serão reguladas. Será imposta uma taxa sobre os turistas que participam nas excursões no centro da cidade e cada excursão está limitada a um número máximo de 15 pessoas, com guias certificados. As excursões em grupo de mais de 15 pessoas serão proibidas em todo o centro histórico.

Algumas profissionais do sexo não ficaram felizes com a mudança, sugerindo que isso poderia afetar o negócio.

No entanto, de acordo com o relatório da Dutch News, quatro em cada cinco profissionais do sexo sentem que as visitas guiadas prejudicam o negócio, enquanto alguns profissionais ainda sofrem com comportamentos abusivos e fotos indesejadas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.