Bilhete-postal enviado por Miguel Fernandes

Na realidade, para mim era apenas mais um dia como tantos outros, mas para os meus pais era, sem dúvida, um dia especial. Não eram os meus “sweet 16”, contudo eram 20 anos de histórias para contar, uma infância feliz e uma adolescência inesperadamente pacífica (pelo menos dada a primeira experiência que os meus pais tiveram com a minha irmã).

Umas semanas antes a minha mãe disse-me que duas décadas tinham de ser celebradas de forma inesquecível. Rapidamente surgiram ideias, desde um jantar com os amigos até uma festa de arromba, mas visto que aquele era um dia tão especial para a minha mãe, decidimos fazer uma viagem só os dois. Destinos não faltavam, no entanto o tempo era escasso, sendo Madrid e Barcelona as cidades escolhidas.

Um dia antes da partida para a capital espanhola a minha mãe ligou-me e prometeu-me que faria daquela viagem uma boa história para contar. Apesar de acreditar na sua força e na convicção, admito que duvidei que tal fosse acontecer. Escusado será dizer que estava redondamente enganado, o dia chegou e enquanto estávamos no avião a minha querida bem fez o que todas as mães gostam de fazer, elogiar os filhos de forma exagerada em frente deles para pessoas totalmente desconhecidas. Numa rápida conversa com a hospedeira da TAP, depois de lhe dizer umas 10 vezes que eu era um óptimo aluno e que estava muito orgulhosa, acabou por dizer que era o meu aniversário e se eu poderia ir dar uma vista de olhos ao cockpit. Fiquei da cor de um tomate naquele momento - “Que vergonha?” - falei eu baixinho. Passado uns minutos a senhora voltou e pediu-me para a acompanhar, entrei na mais fascinante sala dos botões (como eu lhe chamei) que eu algumas vi. Depois de uma rápida conversa com o comandante, ele disse para eu ir rapidamente chamar a minha mãe, porque iríamos os dois aterrar no cockpit. Naquele momento eu fiquei sem palavras, ainda nem tínhamos chegado e a minha mãe já tinha feito daquele dia o mais feliz da minha vida até então.

Os dias seguintes foram igualmente memoráveis, um passeio nos Jardins do Bom Retiro, uma rápida visita ao Palácio Real e uma fantástica experiência gastronómica no mercado de São Miguel. Após uns dias na capital, uma rápida viagem de comboio a 350km/h levou-nos até Barcelona, onde a animação de Las Ramblas nos deslumbrou.

Para mim, que agora tenho 21 anos, a melhor viagem que já fiz foi com a minha mãe no dia do meu aniversário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.