O reino combate uma terceira onda de coronavírus, um novo surto que as autoridades rastearam em abril num distrito de vida noturna frequentado por pessoas muito ricas e com importantes contatos políticos em Banguecoque.

Neste contexto, o governo impôs restrições para o desgosto dos donos de restaurantes, muito afetados por um ano de fechamentos intermitentes por causa da pandemia.

A empresa que organiza viagens de luxo The Silver Voyage Club trabalha para fornecer comidas exclusivas em algumas das comunidades mais afetadas de Banguecoque, disse o fundador, Jakkapun Rattanapet.

No marco do projeto "Food for Fighters", os chefs de classe mundial recebem até 100 baht (2,65 euros) por "ração", que depois são doadas para comunidades onde foram detectadas altas taxas de contágios por coronavírus.

Nesta segunda-feira, muitas famílias fizeram longas filas enquanto esperavam poder receber algum dos 500 "kits" com comidas preparadas pelos melhores chefs de Banguecoque, junto à Miss Universo Tailândia, Amanda Obdam.

"Precisamos fechar esta brecha (de desigualdade), porque há muitas pessoas que ainda lutam enquanto o resto tem uma vida de elite", disse à AFP, enquanto tirava selfies com os fãs.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.