A tendência dos últimos anos de viajar sem mala está a ganhar terreno, especialmente depois das recentes limitações introduzidas por algumas companhias aéreas à bagagem de mão. As alterações surgem na sequência das recomendações da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) e Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (CECD), com vista a minimizar o risco de propagação da Covid-19. No seguimento das recomendações, algumas companhias aéreas introduziram restrições e outras preparam-se para proibir por completo a bagagem de mão.

De acordo com a Mail Boxes Etc. (MBE), que disponibiliza transporte especializado de bagagem desde a origem até ao destino, nos seus centros de serviços de Lisboa e do Porto, os viajantes estão a valorizar cada vez mais este tipo de serviço, por questões de comodidade e, sobretudo, de segurança. As pessoas querem evitar surpresas desagradáveis no momento de viajar, filas que potenciem o risco de contacto entre passageiros e funcionários aeroportuários, assim como outras complicações relacionadas à bagagem.

O viajante pode solicitar a recolha da bagagem no domicílio ao centro MBE mais próximo e indicar o destino, seja um hotel, um apartamento ou qualquer outro ponto de recolha, evitando assim enviar a bagagem para o porão no momento da viagem.

O centro escolhe as embalagens mais adequadas para as diferentes bagagens, sendo que existem embalagens específicas para diferentes bagagens como malas, mochilas e sacos; bicicletas; pranchas de surf, de windsurf, de snowboard e de esqui; sacos para tacos de golfe, entre outras. A cobertura MBE SafeValue efetua o reembolso em caso de perda, cobrindo não só o valor real da mercadoria, como também do envio, desde o momento da recolha até à entrega.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.