1. Insetos de um rio poluído

Uma invasão de mosquitos, denominados Chironomus calligraphus, estão a pintar em tons de verde os mármores brancos do edifício. O alerta foi lançado recentemente por um ambientalista que considera que a “reprodução explosiva”, destas pragas, com origem no poluído rio Yamuna, está a pôr em causa a beleza do Taj Mahal. Apesar das manchas serem laváveis, as lavagens frequentes estão a comprometer o mármore.

De acordo com a fonte, “cinquenta e duas condutas estão a despejar resíduos diretamente para o rio, atrás do monumento. O Yamuna tornou-se tão estagnado que os peixes, que antes controlavam as populações de insetos, estão a morrer. Isso permite que as pragas proliferem no rio ".

Taj Mahal
créditos: Pixabay

2. Poluição da indústria vizinha

Mas não são apenas os mosquitos que representam uma ameaça ao mausoléu mandado construir pelo imperador Mughal Shah Jahan. A presença de uma refinaria de petróleo nas proximidades do monumento, assim como a poluição das indústrias em Agra, região do Taj Mahal, estão a atingir o edifício com a alteração dos mármores brancos para uma cor mais amarelada, ao longo dos anos.

Para evitar este processo, são aplicadas camadas de argila nas paredes para remover as impurezas. Depois de seca, a argila é removida com água. O tratamento, embora eficaz, tem de sido repetido ao longo dos anos.

Taj Mahal
créditos: Pixabay

3. Um centro comercial

É verdade que o Taj Mahal é um grande pólo de atração turística e (talvez) por essa razão, o governo local decidiu aprovar, em 2002, a construção de um centro comercial perto do mausoléu, para albergar lojas que tinham sido retiradas do próprio Taj Mahal, por ordem do Supremo Tribunal indiano. A construção também serviria de entrada para o monumento, evitando que os turistas tivessem de percorrer as ruas poluídas junto ao mesmo.

Os protestos não se fizeram esperar uma vez que o projeto tinha impactos em termos ambientais que podiam pôr o Taj Mahal em risco. Naturalmente, a ideia acabou por ser abandonada.

4. O crematório

Perto do Taj Mahal existe um crematório, ao ar livre, onde são feitos rituais funerários. Para evitar que a cinza e o fumo sejam soprados em direção ao mausoléu, o Supremo Tribunal nacional decidiu que o crematório tem de ser mudado de lugar, ou então, ser construído um crematório a energia elétrica no seu lugar.

O governo local concordou com esta medida, mas fortes manifestações por parte da comunidade hindu têm adiado esta mudança.

Taj Mahal
créditos: Pixabay

5. Atentados terroristas

Sendo o Taj Mahal o monumento que mais turistas atrai no país, é natural que um plano de contingência tenha sido montado contra atentados terroristas, uma vez que a própria Al-Qaeda já ameaçou fazer um ataque no mausoléu.

Esta não é a primeira vez que o Taj Mahal se encontra debaixo de medidas de segurança. Em 2001, o monumento esteve sob alerta, depois de um grupo paquistanês ter ameaçado com um ataque.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.