“Será uma forma de mostrar ao mundo - porque o fato de ser um ferramenta digital tem essa vantagem de acessibilidade total - as nossas particularidades, as nossas riquezas, o nosso património museológico, enriquecendo assim a imagem e aquilo que o destino Madeira tem para oferecer em termos culturais”, disse secretário regional da tutela, Eduardo Jesus à agência Lusa.

O portal ‘Museus da Madeira’ é um projeto desenvolvido por esta secretaria do executivo madeirense, através da direção regional da Cultura, que foi criado sob orientação da museóloga Teresa Campos.

Esta plataforma divulga ao público as coleções dos museus da Madeira e permite, pela primeira vez, a sua visita a partir de qualquer lugar do mundo.

Constituindo uma espécie de “catálogo coletivo online”, o portal vai incluir nesta fase inicial as bases de dados dos museus Quinta das Cruzes, Casa-Museu Frederico de Freitas (Funchal), Etnográfico da Madeira (Ribeira Brava) e Mudas, Museu de Arte Contemporânea da Madeira (Calheta), que integram a Rede Portuguesa de Museus.

Contudo, os seus criadores destacam que este é um projeto “dinâmico no que respeita aos quatro museus já integrados e não é uma plataforma fechada”, pelo que, no futuro, podem ser incluídos outros museus, não só tutelados pela direção regional da Cultura da Madeira, mas também municipais ou privados que integrem ou venham a integrar a Rede Portuguesa de Museus.

“Esse é um objetivo”, sublinhou a museóloga Teresa Campos, defendendo ser importante “preservar o património da Região através da sua divulgação transversal e mundial”.

A museóloga explicou que “este portal irá facultar a pesquisa do acervo de cada entidade e a pesquisa simultânea e transversal nas coleções dos referidos museus, relativa, por exemplo, a uma autoria, uma tipologia, um período histórico, um edifício, uma tradição ou evento festivo”.

Teresa Campos aponta que o portal “é único no país, já que disponibilizará de forma simultânea, informações sobre o património móvel e imóvel, o património imaterial e ainda fundos documentais, através de conteúdos digitais de qualidade”.

“O portal ‘Museus da Madeira’ constitui assim um fundamental repositório de informação, reforçando a preservação e valorização do património emblemático da identidade cultural da Região Autónoma da Madeira”, realçou.

A pesquisa pode ser utilizada em três níveis – livre, orientada e avançada – consoante as necessidades de cada utilizador que gradualmente pode proceder à combinação de critérios e atingir um elevado grau de refinamento, restringindo ou ampliando a investigação para obter resultados mais específicos.

O denominado ‘Museus da Madeira’ permite ainda o acesso a um dicionário de autores, bibliografia e informação associada e complementar de cada registo, bem como uma seleção de exposições online da responsabilidade de cada museu.

O objetivo é que os utilizadores do portal encontrem naquele espaço virtual um acesso fácil e direto ao património cultural e museológico da Região.

A criação deste portal foi possibilitada com a atualização, em 2015, do Matriz 3.0, lançado pela Direção Geral de Património Cultural, e que é o software de referência nacional para o inventário, gestão e divulgação on-line integrados de Património Cultural (móvel, imóvel, natural e imaterial).

A nova ferramenta, que é o garante da continuidade do trabalho de inventariação e gestão das coleções museológicas, de forma mais eficaz, numa nova plataforma com uma estrutura normalizada, interface para publicação online dos conteúdos inventariados e geridos no Matriz 3.0.

“Acreditamos que o portal Museus da Madeira será um importante veículo de informação e de divulgação da Cultura e do Património Cultural da Região”, concluiu o secretário da Economia, Turismo e Cultura madeirense, considerando que esta nova ferramenta digital “vem responder às necessidades de reforço da informação de conteúdos culturais” do arquipélago.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.