Era madrugada de segunda-feira, e os seguranças ouviram as chamadas dos bombeiros: era um incêndio e estava muito próximo das suas instalações.

Batizado de "Getty", o incêndio cresceu em questão de horas e várias celebridades tiveram que ser evacuadas de uma zona residencial exclusiva nesta área, como LeBron James e Arnold Schwarzenegger,

Apesar das chamas - que se estenderam por cerca de 300 hectares - e da fumaça, as autoridades do museu nunca consideraram transferir o seu acervo de 125 mil obras de arte e 1,4 milhão de documentos. Muitos deles são únicos.

"As nossas obras estão incrivelmente seguras", disse à AFP a vice-presidente de Comunicações, Lisa Lapin.

"O Getty foi construído para abrigar valiosas peças de arte e mantê-las a salvo de incêndios, terremotos, de qualquer tipo de dano", completou.

O arquiteto Richard Meier construiu esta "charmosa fortaleza", como Lapin a define, há duas décadas. O custo foi de mil milhões de doláres. Com cerca de mil funcionários, o Getty Center conta ainda com um centro de investigação e uma fundação.

O prédio é composto de materiais como o travertino, um tipo de rocha calcária extremamente resistente ao fogo, assim como de concreto e aço.

O teto tem pedra triturada, de modo que uma brasa não consegue se incendiar. Os jardins também foram pensados de modo a retardar o fogo.

As galerias são compartimentadas com uma porta dupla praticamente impenetrável como uma abóboda.

Sistema de ventilação

Era de madrugada, e o Getty estava vazio. O primeiro passo dentro do protocolo foi ativar o sistema de rega, utilizando o seu tanque de 3,7 milhões de litros de água, nos jardins projetados "para minimizar o fogo".

Também se mudou o sistema de ventilação para evitar a entrada de fumaça nas salas.

Atualmente, o Getty tem uma exposição especial de Edouard Manet. Lisa contou que alguns dos proprietários das obras expressaram preocupação com a situação. Assim que conheceram as condições de segurança do edifício ficaram descansados, garante Lisa.

Lisa Lapin não tem um registo histórico do número de incêndios que já ameaçaram o Getty.

De acordo com Lisa, o museu foi visitado por representantes de outros países que queriam copiar o sistema de segurança.

O museu, que serviu de base para os bombeiros, estará estará encerrado pelo menos durante o dia de hoje.

Contido em 27%, o incêndio "Getty" foi causado por um galho que caiu numa central elétrica da cidade, gerando as faíscas que começaram as chamas.

O presidente de Los Angeles, Eric Garcetti, classificou-o como um "ato de Deus" e disse esperar que esteja totalmente controlado muito em breve.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.