A obra de reabilitação, a cargo do município e que prevê "o aproveitamento integral" do edifício e antigo espaço de convívio e cultura, "dando-lhe continuidade e atualidade", vai decorrer durante 10 meses, adiantou hoje à agência Lusa o vice-presidente da Câmara de Beja, Vítor Picado.

Depois de reabilitado, indicou, o edifício, situado no cento histórico de Beja, vai ser uma "casa criativa", vocacionada para a produção cultural, e o Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Imaterial.

Segundo Vítor Picado, a obra de reabilitação do edifício inclui a criação de gabinetes e ateliês para atividades culturais e criativas e de duas habitações, que "serão, preferencialmente, usadas como residências temporárias de artistas e individualidades que se queiram integrar, de alguma forma, no espírito da nova ´casa criativa`".

O Centro UNESCO é uma iniciativa da Câmara de Beja e será "uma rede de diversas instituições que estejam empenhadas na salvaguarda, na gestão, na valorização e na educação para o património imaterial e na difusão e na promoção das boas práticas neste domínio", explicou.

"Vamos tentar coabitar todas estas sinergias", disse o autarca, referindo que o Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Imaterial "casa muito bem com a ideia de espaço criativo que o município tem para o edifício".

Segundo a Comissão Nacional da UNESCO, os centros ou clubes UNESCO são estruturas criadas por entidades que "acreditam nos ideais" da organização e querem apoiá-la na sua missão, como associações sem fins lucrativos, organizações não-governamentais, escolas, universidades, fundações, círculos culturais, sociais e administrativos.

Os centros ou clubes constituem-se como "um prolongamento da ação" das Comissões Nacionais da UNESCO e têm como objetivo promover a organização e os seus programas e ideais, contribuir para a formação cívica e democrática dos seus membros, apoiar os Direitos Humanos e favorecer a compreensão internacional e o diálogo entre os povos.

Em Portugal, o primeiro centro UNESCO foi criado em 1989, no Porto, e, atualmente, a rede portuguesa de centros e clubes da organização conta com 42 estruturas espalhadas pelo país e uma delas situa-se na secção portuguesa do Lycée International de Saint Germain-en-Laye, na capital francesa, Paris.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.