Em algumas cidades da Malásia a arquitectura revela sinais de modernidade criativa e exuberante. Por sua vez, os meios rurais oferecem paisagens e vivências naturais e genuínas.

A localização da Malásia remete para um lugar de passagem, mas o país tem muito mais para oferecer do que ser apenas um stop over.

Em primeiro lugar, as pessoas são muito hospitaleiras. Junta-se a criação de infraestruturas para um turismo que pode englobar todas as idades e estatuto social. Por último, pode-se andar em segurança, sem problemas de maior.

Kuala Lumpur
Vista de Kuala Lumpur a patir da Torre créditos: Who Trips

O que tem de ver:

Kuala Lumpur é paragem obrigatória. A arquitetura moderna pode ser contemplada da Torre e o olhar não sai das torres Petronas. Ao anoitecer, a vista é soberba, como também surpreende a festa permanente nas ruas do triângulo dourado durante toda a noite.

Não muito longe da capital, a cerca de 15km, estão as grutas Batu e o Templo. O melhor acesso é de comboio e surpreende a grandiosidade do espaço que recolhe as principais festividades hindu na Malásia.
 As três grutas têm centenas de metros de extensão e a estátua Murugan capta logo o olhar.

Malaca é um caso especial. Está a ser promovida no sudoeste asiático como uma das cidades fascinantes, pela sua riqueza cultural e histórica.
 Merece o tributo, como também os portugueses e holandeses que por aqui passaram.
 Hoje, os colonos são os turistas, que ocupam a toda a hora a fortaleza, a Famosa.

Completamente diferente é a região de Cameron, uma zona montanhosa, com altitude superior a mil metros, o que cria um clima completamente diferente e paisagens verdes, de plantações, designadamente de chá. Fica a mais de 200 km de Kuala Lumpur e a viagem faz-se em 3h.

Para quem tem algum tempo, Penang é outro destaque, em particular George Tow, a capital do Estado e o centro histórico e de cruzamento cultural nos últimos séculos nesta região.
 Petang fica no início do estreito de Malaca.

Malaca
Riquecho em Malaca no caminho para a Formosa créditos: Who Trips

Chegar e andar:

O modo mais frequente de chegar é pelo moderno aeroporto de Kuala Lumpur, que serve muitas companhias aéreas internacionais. O aeroporto fica a cerca de 50 km da capital.

Não é exigido visto para a maior parte das nacionalidades para estadias inferiores a 30 dias.

Comboios e autocarros permitem circular entre os principais pontos turísticos da Malásia. Como também a ligação rodoviária a Singapura.

As estradas são seguras mas, por vezes, o trânsito fica congestionado.

Prepare-se para um clima quente e húmido na maior parte do território e com possibilidade de chuvas fortes, mesmo fora do tempo das monções.

Talvez a melhor altura para compatibilizar o bom tempo e evitar as enchentes de turistas, sejam os meses de Outubro e Novembro.

Em termos gerais, não há problemas de salubridade e até é vulgar comprar-se comida nas tendinhas de rua.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.