Antes de sermos pais fazíamos muitas caminhadas e sempre pensámos que queríamos continuar a fazê-lo com os nossos filhos. E temos conseguido cumprir o nosso desejo =) Da nossa experiência podemos dizer-vos que é possível, com adaptações e com maior facilidade em algumas faixas etárias, mas podemos continuar a caminhar com os nossos filhos, e são momentos muito bons em família.

Antes de mais, queria alertar que é importante que os pais tenham prática a caminhar, porque para podermos manter os nossos filhos em segurança, temos de ter conhecimentos e sentirmo-nos sempre seguros durante a atividade.

Quando os miúdos são pequenos, com meses ainda, é muito prático. Eles vão sempre no marsúpio/mochila, com o pai ou com a mãe, e a alimentação é apenas leite materno ou leite no biberon (fácil de transportar).

A escolha para o bebé ir com o pai ou com a mãe, prende-se com dois fatores. Quem tem mais prática e mais confiança e quem consegue levar mais carga, porque para além do bebé, há também a mochila com o resto do material.

Quando as crianças já comem, temos de levar connosco alimentos para fazer ou então comida já feita para aquecer, o que implica mais peso (dos recipientes onde vão armazenados).

Quando começam a crescer, há determinadas idades em que é um desafio, e em que até pode ser impossível fazer caminhadas de mais que um dia. Nesta fase, em que eles já querem andar connosco, mas ainda aguentam muito pouco, também já estão pesados para ir nas nossas costas.

E claro que tudo isto depende do gosto dos miúdos por caminhar. Quanto mais cedo começarem e quanto mais vezes o fizerem, mais se vai tornando “normal” para eles e mais fácil se vai tornar.

Com 4/5 anos já são capazes de fazer caminhadas mais extensas, com pausas, claro, para comer e brincar, e estamos a falar de caminhadas de dificuldade fácil ou média. Da nossa experiência, caminhadas muito fáceis (tudo a direito, tipo estradões), não são boas para os miúdos, porque eles fartam-se facilmente. As crianças gostam de desafios, por isso caminhadas com pedras e com desníveis são mais apelativas para as crianças.

Com crianças maiores, já é necessário levar mais material, como o colchão e o saco-cama, e vai ser preciso mais água e mais comida também. Além disso, a partir de determinada altura a tenda vai ter de ser maior, para toda a família, e por isso mais pesada.

Com 7/8 anos, já podem levar alguma carga (cerca de 25% do seu peso, no máximo). A título de exemplo, o nosso filho mais velho (8 anos) leva o saco-cama dele, alguma comida e dois colchões.

Deixo algumas dicas que podem facilitar as vossas caminhadas em família:

  • as mochilas devem ser ergonómicas;
  • os colchões devem ser compactos e leves;
  • os sacos-cama devem ser de penas (os mais leves, mais quentes e mais compactos);
  • as roupas devem ser adequadas ao clima e dependendo dos locais pode ser necessário (mais seguro) levar os miúdos amarrados a nós, com arnês e corda
  • as comidas mais leves são as iofilizadas, mas experimentem em casa primeiro, para não correr o risco deles não gostarem e depois não terem alterativa no momento.

Tal como referi no início, caminhar com os nossos filhos, são momentos de qualidade em família, onde se criam memórias incríeis, onde se fortalecem os laços, onde há tempo para ouvir e conversar, onde há entre ajuda e onde se aprende muito.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.