O Ritz Carlton de Riade, na Arábia Saudita, revela que a partir de 14 de fevereiro de 2018 está novamente disponível para receber reservas de hóspedes internacionais, depois de ter servido como prisão de luxo (também apelidada pela comunicação social de "prisão dourada") para vários príncipes e outras figuras importantes, alegadamente envolvidos em casos de corrupção.

Alwaleed bin Talal, o homem mais rico do Médio Oriente, foi um dos detidos durante a referida operação.

Entre na galeria para conhecer a "prisão dourada" Ritz Carlton:

 

Ao todo, e segundo um vídeo da BBC (o primeiro órgão de comunicação a ser autorizado a entrar no hotel após as detenções), o Ritz Carlton acomodou 200 prisioneiros de luxo ao longo de vários meses. Desde 4 de novembro, data em que estas personalidades ficaram detidas no hotel, alguns dos prisioneiros mostraram-se disponíveis para pagar avultadas somas de dinheiro pela sua libertação.

Os que ainda continuam detidos vão ser, agora, transferidos, para um prisão fora de Riade para que o hotel possa regressar à normalidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.