O Myanmar foi um país que visitámos por acaso. Inicialmente não fazia parte dos nossos planos mas, e depois de ouvirmos relatos sobre este país, não resistimos em o visitar. A nossa primeira paragem foi em Yangon, a maior cidade do Myanmar e antiga capital. Não é a cidade mais bonita, mas chegamos em boa altura: durante as celebrações do Thingyan ou festival da água. A boa disposição, os Longyis molhados, as pistolas e os balões de água e o risco iminente de sermos alvo dos miúdos que molhavam tudo que mexia tornaram a cidade mais admirável.

Ataques aquáticos durante o Festival da água Thingyan Myanmar
Festival da água Thingyan no Myanmar créditos: Mais pra Lá

O Myanmar é um país de enorme multiculturalidade e Yangon é um reflexo disso mesmo. Este foi o local onde tivemos o primeiro contacto com um povo que, independentemente da origem, é extremamente afetuoso e curioso em relação a quem o visita.

Ataques aquáticos durante o Festival da água Thingyan Myanmar
Ataques aquáticos durante o Festival da água Thingyan Myanmar créditos: Mais pra Lá

Como amantes de viagens de comboio, não podemos deixar de vos falar também de uma linha férrea circular com cerca de 46 quilómetros que faz a ligação entre a cidade e as áreas suburbanas. É uma viagem que demora três horas a ser feita na totalidade (sim, os comboios no Myanmar são muito lentos!) e, além de nunca deixar de haver uma movimentação e vida própria dentro das carruagens, esta é uma boa forma de ver mais da cidade e das suas redondezas. Entram e saem passageiros e vendedores que dizem em voz alta os variados produtos que oferecem. Numa estação entra um senhor com um cesto de bananas para vender e sai na estação seguinte, ao mesmo tempo entra um vendedor de bolinhos, sementes, tabaco, ou o que quer que seja... parece-nos um bom modelo de negócio. Entram num dos comboios e saem na próxima estação, esperam pelo próximo e fazem a mesma coisa até darem a volta completa à linha e repetem. Nós começamos em Yangon central e fizemos o loop completo até regressar à mesma estação.

Sem dúvida uma viagem que vale a pena ser feita!

Comboio linha circular de Yangon
Comboio linha circular de Yangon créditos: Mais pra lá

Nas ruas da cidade podem ser visitados templos budistas mas também mesquitas, podes dar um saltinho à China Town e provar diferentes pratos de noodles ou seguir passeando e rapidamente sentir o cheiro ao caril. Ainda que não sendo a gastronomia birmanesa a nossa preferida, para comer optámos várias vezes pela Lahpet Thoke, uma salada de folhas de chá típica da Birmânia que é uma delícia.

Yangon é palco da mescla cultural sentida de forma intensa e que lhe dá vida. Os sítios são mais que monumentos épicos ou atrações turísticas. São as pessoas e os seus hábitos, são os cheiros e os sabores, são tradições e culturas feitas de momentos únicos.

Cerimónia das Almas em Yangon
Cerimónia das Almas em Yangon créditos: Mais pra Lá

E viajar também é isto! Deixar-nos levar e ser surpreendidos por momentos e emoções.

Ruas de Yangon
Ruas de Yangon créditos: Mais pra Lá

Se quiseres saber mais sobre a nossa passagem por este país podes encontrar as nossas histórias aqui. Não deixes de seguir as nossas aventuras no Facebook ou Instagram!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.