Descubra seis cidades nórdicas para conhecer depois do inverno.

Odense, Dinamarca

Odense, Dinamarca
Odense, Dinamarca créditos: Food and Travel Portugal

A terceira maior cidade dinamarquesa, com o seu núcleo medieval, integra 120 parques e todos eles adquirem a sua verdadeira beleza na primavera. O Klosterhaven (Jardim do Convento), com uma abertura localizada por detrás da parede da catedral de St. Canute, alimenta extensões de crocus – a flor de onde se extrai o açafrão – e mais de 125 variedades de ervas raras; o “Jardim dos Contos de Fadas”, construído em homenagem ao filho mais famoso da cidade, Hans Christian Andersen, é famoso pelos narcisos em flor. A ilha de Stige, um aterro antigo, começou a florescer recentemente, tornando-se numa reserva natural. Para comer, avance até ao Bazar Fyn, um mercado vibrante de comida global, na praça Thriges, com 65 lojas. À noite vá até à S’Vineriet Vinapotek, uma elegante loja de vinhos, com um terraço onde é possível provar brancos, tintos ou rosés.

Gotemburgo, Suécia

Gotemburgo, Suécia
Os canais de Gotemburgo créditos: Food and Travel Portugal

As 20 ilhas do arquipélago de Gotemburgo afastam o manto pesado do inverno, exibindo o nascimento de flores silvestres e das crias das focas. Os estudantes universitários descontraem nos jardins botânicos e mulheres bem vestidas andam de bicicleta ao longo dos canais do século XIX. O cenário gastronómico gira em torno do marisco apanhado no Mar do Norte. O mercado do peixe está localizado numa instalação que lembra uma igreja com o seu telhado inclinado e as janelas neogóticas. Para comer, escolha o Gabriel, um dos dois restaurantes aí localizados, e não perca a sopa cremosa. Em alternativa, passeie até à antiga Casa de Leilões de Gotemburgo, onde poderá experimentar skagenröra (camarões em tostas) e os cocktails da Taverna Averna, que cultiva ervas aromáticas no telhado.

Copenhaga, Dinamarca

Copenhaga, Dinamarca
Anoitecer em Copenhaga créditos: Food and Travel Portugal

Em Copenhaga, nesta época, os residentes escolhem percursos que os conduzam pelo meio das cerejeiras em flor, como acontece na famosa rua do cemitério de Bispebjerg. Nada incomoda o espírito dos habitantes da cidade mais feliz do mundo. Na primavera, até os cemitérios como o Assistens se tornam locais de encontro para piqueniques, aulas de ginástica e amigos a partilhar copos com café. Copenhaga é particularmente encantadora nesta altura do ano, quando as janelas das casas cor de alperce, em Amagergade, se abrem e os barcos flutuam nos três lagos que se destacam no centro da cidade. Passeie pela Ravnsborggade, uma rua localizada no distrito de Nørrebro, onde se realiza um mercado de antiguidades, aos domingos, desde março; visite os imprescindíveis Jardins Tivoli; ou vá até à Illum Rooftop, uma praça de comida localizada no centro comercial com mais estilo da Dinamarca.

Helsínquia, Finlândia

Helsínquia é perfeita nos meses mais quentes. Rodeada pelo Báltico por três lados, tem 300 ilhas, incluindo a histórica ilha de Suomenlinna e Lammassaari, com a sua torre de observação de pássaros, de onde se podem ver as espécies migratórias que regressam na primavera. À medida que o frio vai desaparecendo, aumenta o número de finlandeses destemidos que se deslocam das saunas em direção às praias, como a Hietaranta, para mergulhar corajosamente no Báltico. Dirija-se ao Parque Keskuspuisto e passe pelo Teurastamo (O Matadouro), uma zona que se enche de roulottes de comida e churrasqueiras públicas. Há uma praia, um relvado e várias redes para descansar e passar a tarde de forma descontraída.

Oslo, Noruega

Em Oslo, irá encontrar residentes a devorar livros de bolso nos bancos do Parque Vigeland ou a acompanhar os seus cappuccinos nos vários cafés elegantes de Vulkan. Em maio, os noruegueses de Oslo optam por prazeres simples: viagens até à floresta Nordmarka, seguidas de um prato de borrego tenro com batatas novas e alho selvagem; e passeios pelo porto, para ver os veleiros a regressar ao fiorde de Oslo, depois do longo sono de inverno. No Rådhusbrygge 3 (cais), atrás da Câmara Municipal, os pescadores vendem camarão fresco, ligeiramente cozido, que os habitantes locais comem aos quilos nos parques à beira-mar. Para uma experiência inesquecível da moderna cozinha nórdica, opte pelo Maaemo, agora com três estrelas Michelin e uma oferta que procura captar a natureza áspera e o clima norueguês em cada um dos seus pratos. Na primavera, estes podem incluir folhas de dente-de-leão, rabanetes, flores de alho selvagem e cavala.

Bergen, Noruega

Bergen, Noruega
Porto de Bergen créditos: Food and Travel Portugal

O inverno aqui é agreste. Os termómetros raramente sobem dos 10 graus negativos e os ventos gelados arrastam-se vindos do Mar do Norte, parecendo ainda mais frios. Assim, não é difícil perceber a razão pela qual os residentes desta cidade têm vontade de cantar quando chega a primavera. A maioria das viagens pelos fiordes recomeça em maio. Deslize pelo Aurlandsfjord de caiaque, vagueie por entre pomares cheios de árvores em flor na Hardangerfjord e observe as águias do mar a voar a grande altitude entre os precipícios que delimitam Nærøyfjord. Desde a época em que foi fundado, há 900 anos, o porto tem sido o núcleo de Bergen. Foi daqui que os vikings partiram nas suas embarcações para provocar as guerras que se transformaram em belas obras épicas norueguesas. Hoje em dia, os edifícios em tons amarelo mostarda são o centro da vida social da cidade durante a primavera. Para comer, escolha o Fløien Folkerestaurant: está no topo do monte Fløyen, desde 1925. Apanhe o funicular no centro da cidade e desfrute de uma fatia de kvæfjordkake (o bolo típico da Noruega) com morangos, no terraço enorme.

Artigo originalmente publicado na revista Food and Travel Portugal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.