As Capitais Europeias da Cultura são selecionadas todos os anos pela União Europeia em reconhecimento pelos esforços das cidades em apoiar a cultura regional, homenageando desde a culinária até à arquitetura.

Portugal terá pela quarta vez uma cidade europeia da cultura em 2027, depois de Lisboa (1994), Porto (2001) e Guimarães (2012). As cidades portuguesas interessadas têm agora um prazo de 4 anos para se candidatar.

Destinos culturais inspirados nas Capitais Europeias da Cultura:

Capitais Europeias da Cultura em 2019

Plovdiv, Bulgária

Uma das vencedoras oficiais da Capital Europeia da Cultura em 2019, esta cidade no sul da Bulgária é uma das mais antigas da Europa, e considerada uma joia cultural. Aproveite para degustar cerveja artesanal de primeira qualidade na região artesanal de Kapana, caminhe pelas ruas ou explore as ruínas da fortaleza de Nebet Tepe. Não vão faltar oportunidades para mergulhar na cultura e história de Plovdiv.

Uma das vistas mais incríveis é a do teatro romano de Plovdiv (na foto do artigo). As ruínas foram descobertas numa escavação arqueológica no final dos anos 1960, e remontam a 90 d.C. Este vestígio inacreditável de história foi preservado, é utilizado até hoje pela cultura contemporânea da cidade e regularmente é palco para apresentações. Plovdiv também é recomendada pela sua beleza.

Matera, Itália

A segunda vencedora da Capital Europeia da Cultura em 2019 é Matera, na Itália, uma cidade na região remota de Basilicata, no sul do país. Este lugar antigo é formado por diversas grutas e cavernas, além de casas esculpidas nas rochas de calcário.

Recentemente, Matera passou por diversas melhorias. A cidade já foi uma das mais pobres da Europa Ocidental, mas um número cada vez maior de artesãos começou a abrir oficinas, galerias e restaurantes, dando uma nova vida a Matera. A melhor forma de explorar a cidade é a pé, com as suas ruas sinuosas e vistas deslumbrantes do interior. À noite, pátios e escritórios transformam-se em bares, com quiosques de comida regional e bandas ao vivo.

Matera também é muito recomendada pela sua história e beleza, ao mesmo tempo em que apoia as culturas contemporânea e tradicional.

Capitais Europeias da Cultura em 2020

Rijeka, Croácia

É a terceira maior cidade da Croácia e principal porto do país. A catedral de Rijeka, Igreja de São Nicolau (Rijeka), Teatro Nacional Croata em Rijeka e o Castelo de Trsat são alguns dos monumentos e locais de interesse na cidade.

Galway, Irlanda

É a terceira maior cidade do País, com uma forte herança cultural e muito ativa em termos de arte, música, teatro e cinema.

Outras cidades internacionais ricas culturalmente e que podem inspirar uma viagem

Catmandu, Nepal

Capital do Nepal, Catmandu tem sido nos últimos anos um centro de arte, história e cultura. Uma cidade movimentada, Catmandu é repleta de riquixás, arte e templos ocultos. O centro velho de Catmandu está repleto de belos templos, além de ficar a uma breve caminhada de Thamel, um centro turístico que atrai os viajantes pela sua vida noturna e restaurantes. Poderá visitar o Kathesimbhu Stupa, famoso local de peregrinação tibetano, e caminhar até ao recém-restaurado Jardim das Seis Estações, também conhecido como Jardim dos Sonhos. Além da sua história intemporal, Catmandu possui atualmente algumas galerias de arte contemporânea muito procuradas.

Pequim, China

Pequim é a segunda cidade mais populosa do mundo e capital da China. Por ser uma das seis cidades históricas da China, vale a pena visitar. Da Grande Muralha à arquitetura moderna do Estádio Nacional, projetado para um grande evento desportivo em 2008, Pequim oferece séculos de cultura ao viajante urbano.

Apesar da cidade ser movimentada, os viajantes podem fugir das multidões de turistas e visitar algumas das jóias ocultas da cidade, como o Antigo Prédio do Governo de Duan Qirui e o teatro de madeira Zhengyici.

Anuradapura, Sri Lanka

Anuradapura é uma das antigas capitais do Sri Lanka, famosa pelas suas maravilhas arquitetónicas incrivelmente bem preservadas. Fundada em 377 a.C, depois abandonada, a cidade foi envolvida pela selva até ser redescoberta por exploradores britânicos no séc. XIX. Se viajar até Anurandapura, ainda poderá ver uma das árvores mais velhas do mundo, a Sri Maha Bodhi, que nasceu da árvore de onde se diz que Buda alcançou a iluminação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.