BAÍA DE PICINGUABA, BRASIL

Esta praia é perfeita para quase tudo o que se gosta de fazer nas férias: para um passeio matinal num local praticamente deserto, um mergulho na companhia de tartarugas ou aprender a fazer surf. A temperatura da água também é excecional e varia entre os 24º e os 28º. Segundo a revista Condé Nast Traveller, passar o dia nesta praia (a praia da vila é outra hipótese) e ficar hospedado na pousada Picinguaba, significa que se encontra no paraíso. Perto da praia há trilhos selvagens onde poderá descobrir várias espécies de pássaros e plantas raras.

Como ir: A TAP voa diretamente para o Rio de Janeiro. Depois, a pousada Picinguaba disponibiliza-lhe um transfer, efetuado por um motorista privado num carro com ar condicionado.

Distância: 7854 km

Onde ficar: A pousada Picinguaba foi selecionada para o livro Hip Hotels Atlas, como sendo um dos melhores 80 hotéis do mundo. Os quartos têm vista para a baía. Existe ainda um jardim tropical e várias redes espalhadas junto à piscina.

Saúde: Recomenda-se apenas um creme anti-alérgico.

Atividades: Faça mergulho e reserve lugar num mini-cruzeiro para explorar as ilhas virgens locais.

O que comer: Experimente a garoupa gigante, robalo com laranja,  frutos do mar e grelhados de carne da região de Mato Grosso. Prove também os sumos de papaia e de coco.

Um livro para ler: Litoral do Brasil, do autor Aziz Ab'Saber, livro de fotos sobre as ilhas, praias, fauna e flora da região.

Curiosidade: Picinguaba é uma pequena vila de pescadores que significa refúgio dos peixes no dialeto Tupi.

Baía de Picinguaba - Brasil
Baía de Picinguaba - Brasil

 ILHA DA GIPÓIA, BRASIL

A praia das Flechas, localizada entre as praias da Boa Viagem e do Icaraí, é considerada uma das melhores do arquipélago de Angra dos Reis, que tem mais de 2000 praias e 365 ilhas. Aqui pode ver a profundidade da água até dez metros mesmo sem mergulhar. Os corais e peixes de cores exóticas saltam imediatamente à vista. Na praia pode observar também duas pedras históricas: a Pedra do Índio (semelhante à cabeça de um índio) e a Pedra de Itapuca, que inspira poetas e pintores.

Como ir: A TAP voa diretamente para o Rio de Janeiro. Depois, contacte a empresa Angra Tours que o transportará até ao centro de Angra dos Reis. O preço depende do número de passageiros a transportar. A viagem demora 1h30. Quando chegar, a pousada disponibiliza-lhe o transfer de barco de Angra dos Reis para a Gipóia. Demora 30 minutos.

Distância: 7792 km

Onde ficar: A Pousada Gipóia fica mesmo em frente à praia. São 15 chalés com ar condicionado, decorados em tons de branco e com vista para o mar. A diária inclui passeios de barco nas praias e piscinas naturais da Ilha Grande e ilhas de Angra dos Reis.

Saúde: Recomenda-se apenas um creme anti-alérgico

Actividades: Pode alugar um veleiro para conhecer as ilhas mais longínquas do arquipélago de Angra dos Reis. Peça para parar o barco e dê um mergulho.

O que comer: Prove todo o tipo de peixes grelhados e marisco da região. Não perca ainda as carnes secas grelhadas com farinha de mandioca e acompanhe a refeição com sumos de fruta de graviola ou maracujá.

Um livro para ler: Angra dos Reis: Baía dos Reis Magos, um guia turístico do autor Pedro Henrique.

Curiosidades: A ilha da Gipóia é a segunda maior das 365 ilhas de Angra dos Reis. Apenas a ilha Grande tem uma área superior.

Ilha da Gipóia - Brasil
Ilha da Gipóia - Brasil

 CAIRNS, AUSTRÁLIA

Estenda a toalha debaixo de uma das palmeiras ou das árvores melaluca que cobrem esta praia da região de Queensland, que ganhou recentemente o prémio de mais limpa da Austrália. A revista Condé Nast Traveller recomenda-a aos turistas que pretendam ficar nesta parte do país. Além de desfrutar das águas cristalinas e tépidas, tire algum tempo para fazer mergulho, vale a pena pelos corais que encontrará debaixo de água.

Como ir: A British Airways voa para a cidade de Cairns e faz escalas em Londres e Hong Kong. Em Cairns apanhe um táxi para Palm Cove. São 20 minutos de viagem.

Distância: 19718 km

Onde ficar: No Sebel Reef House Spa. Todos os quartos têm ar condicionado, varanda e estão decorados com objetos de praia feitos à mão.

Saúde: Não são precisos cuidados especiais. Recomenda-se um creme anti-alérgico.

Actividades: Alugue um veleiro para ver a grande barreira de corais. Pratique também mergulho e windsurf .

O que comer: O prato mais consumido é o pastel de carne australiano, acompanhado com salada de verduras. Prove ainda a carne de crocodilo. Acompanhe com uma Victoria Bitter, a cerveja mais famosa do País.

Um livro para ler: A Árvore dos Homens (The Tree of Man), romance do australiano Patrick White.

Curiosidades: Cairns, a poucos minutos de Palm Cove, é a cidade onde a grande barreira de corais se encontra mais perto da costa.

Cairns - Austrália
Cairns - Austrália

DA NANG, VIETNAME

Foi nesta zona de praias de águas transparentes, com uma extensão de cinco quilómetros de comprimento, que muitos militares americanos vinham dar mergulhos e aprender a surfar durante a guerra do Vietname. Esta zona ainda consegue escapar ao turismo de massas. Se caminhar até ao final da praia poderá avistar uma das montanhas da cidade de Da Nang. Durante o trajeto abrigue-se do sol e descanse debaixo das palmeiras que cobrem toda a área da praia Non Nuoc.

Como ir: A British Airways voa de Lisboa para Da Nang e faz escalas em Londres e Singapura. Depois, o hotel assegura-lhe o transporte gratuito até à zona de praias de Da Nang, situado a 30 quilómetros do aeroporto.

Distância: 12 370 km

Onde ficar: Fique no Nam Hai Spa já eleito pela revista Condé Nast Traveller como um dos melhores spa. Os quartos foram decorados por arquitetos franceses.

Saúde: Evite comer carne mal cozinhada ou faça-o apenas em locais de confiança.

Actividades: O hotel fornece-lhe todo o material necessário para fazer mergulho ou snorkelling na praia, de águas transparentes.

O que comer: Prove o Cha Ca, que são pedaços de peixe branco polvilhados com açafrão, fritos em óleo junto à mesa. Para os mais aventureiros, experimentem o escorpião frito. Acompanhe com um sumo de cana de açúcar.

Um livro para ler : Vietname, um livro histórico do autor Paolo Rinaldi.

Curiosidade: A uma hora de Nam Hai encontra o Santuário Mi-Son, um monumento que foi eleito património da humanidade pela Unesco.

Da Nang - Vietname
Da Nang - Vietname

FLIC-EN-FLAC, ILHAS MAURÍCIAS

A revista Condé Nast Traveller elege as ilhas Maurícias como uma das mais bonitas do mundo. Caminhe nas extensas praias de areia branca e mergulhe no mar de cor azul turquesa. Aqui, os recifes de corais fazem contraste com as colinas verdejantes, campos de cana-de-açúcar, plantações de chá, rios, cascatas e lagoas no interior da ilha. Para desfrutar ainda mais das férias, deite-se numa espreguiçadeira à beira-mar e peça uma água de coco.

Como ir: Faça escala em Londres para viajar até às Ilhas Maurícias. Depois, pode apanhar um táxi, mas combine o preço antes de partir (são 50 quilómetros e, em média, deve pagar entre 7 a 8 euros).

Distância: 9510 km

Onde ficar: Fique no Hotel Hilton Mauritius Resort na costa oeste da ilha, na pequena vila de Flic-en-Flac.

Saúde: Não existem vacinas obrigatórias, mas aconselha-se a do tétano e a da febre tifóide.

Actividades: Em Bassin, conheça um dos lagos naturais, situado dentro de uma cratera. Fora de água, desloque-se até ao alto do vulcão extinto, Trou aux Cerfs, para admirar o panorama geral da ilha.

O que comer: Experimente o creole dish, um prato tradicional que pode ter como base carne ou marisco, e que é servido com vários molhos. Prove o Ti-Punch, uma bebida típica feita com rum.

Um livro para ler: The Dodo And Mauritius Island: Imaginary Encounters, um livro de fotografias do fotógrafo Harri Kallio.

Curiosidades: As Ilhas Maurícias foram descobertas pelo navegador português, Pedro Rodrigues, em 1505. Mais tarde, foi colonizada pelos holandeses.

Flic-En-Flac - Ilhas Mauricias
Flic-En-Flac - Ilhas Mauricias

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.