Viajar para serras e montanhas é uma opção para muitos na altura do inverno mas estes destinos não se esgotam na estação do frio e da neve. Um bom exemplo disso é a cordilheira das Dolomitas, nos Alpes orientais, em território italiano.

Quer seja na primavera, verão, outono ou inverno, a paisagem emoldurada por estas montanhas consegue hipnotizar a visão e capturar a imaginação que teima em viajar para este santuário de natureza e ar puro.

Os Alpes Dolomíticos, classificados como Património Mundial da Unesco, estendem-se entre as províncias de Belluno - que constitui a parte mais relevante - Bolzano, Trento, Údine e Pordenone.

21 lagos e lagoas que tem de ver (pelo menos) uma vez na vida
21 lagos e lagoas que tem de ver (pelo menos) uma vez na vida
Ver artigo

O ponto mais alto das Dolomitas é a Marmolada, com 3.343 m de altitude. Outros picos importantes são o Piz de Léch, monte Schiara, monte Civetta e o monte Antelao.

Até ao século XIX, estas montanhas italianas eram conhecidas como "Montanhas Pálidas", acabando por mudar de nome graças ao mineralogista francês Déodat Gratet de Dolomieu, o primeiro a descrever e a estudar a rocha dolomita, que confere a cor e as características únicas a esta cadeia montanhosa.

Os aeroportos mais próximos dos Alpes Dolomíticos são os de Veneza e de Milão, mas ainda terá de andar alguns quilómetros, de carro, autocarro ou comboio, para começar a explorar esta região. Veja a nossa galeria de fotos acima e inspire-se.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.