"À semelhança de outros anos, o parque e o Palácio Nacional da Pena voltou a ser o polo mais procurado, com um total de 1.326.819 entradas. Continua assim a ser um dos palácios mais visitados do país, com uma subida de 22,54% em relação a 2015", explicou, em comunicado, a sociedade que gere os jardins históricos e monumentos de Sintra.

O total de 2.625.011 visitantes repartiu-se, a seguir à Pena, pelo Palácio Nacional de Sintra (545.023 entradas), Castelo dos Mouros (424.243), Palácio Nacional de Queluz (147.592), parque e o Palácio de Monserrate (121.018), Convento dos Capuchos (35.180) e Chalet da Condessa d'Edla (18.147).

Entre os visitantes predominaram os estrangeiros, cerca de 82,19%, com 17,81% de portugueses, e as nacionalidades com maior expressão foram do Reino Unido (19,49%), França (16,48%) e Espanha (14,92%), revelou a PSML.

Para Manuel Batista, presidente da PSML, citado no comunicado, registou-se "uma continuação do aumento do número de visitantes e tem-se verificado um aumento constante do número de pessoas interessadas em Sintra e nos seus espaços, o que reflete o trabalho da empresa e do país na promoção e divulgação".

O dirigente adiantou que, em 2017, vão decorrer obras de recuperação do Convento dos Capuchos e prosseguirá a aposta em novos projetos de animação cultural, para "atingir novos públicos".

A PSML foi criada em 2000, na sequência da classificação de Sintra pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) como Património Mundial, na categoria de Paisagem Cultural.

A sociedade é detida pela Direção Geral do Tesouro e Finanças, Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, Turismo de Portugal e Câmara Municipal de Sintra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.