Foz e Nevogilde, Aldoar e Miragaia, Vitória, São Nicolau, Sé, estas são as freguesias do Porto onde a habitação é mais cara. De acordo com dados da Engel & Völkers, imobiliária multinacional alemã de mediação de imóveis de luxo, o preço por metro quadrado nestas zonas pode ascender até aos 5 mil euros.

Os clientes nacionais têm maior desejo por comprar na zona da Foz, Nevogilde, Marechal Gomes da Costa ou na Avenida da Boavista e são na sua maioria famílias, com compradores entre os 40 a 45 anos, que procuram habitações para viver ou aproveitar a época sazonal.

Investidores estrangeiros representam 45% dos compradores

Os investidores estrangeiros dividem-se em várias nacionalidades. O cliente francês é quem mais investe, e representa 15% dos compradores no Grande Porto. Estes clientes procuram habitações na zona histórica, na baixa do Porto, onde o investimento se traduz maioritariamente na reabilitação de casas.

Os investidores brasileiros representam 12% dos investimentos e procuram essencialmente habitações em toda a zona costeira do Porto, Matosinhos e Gaia.  Já os ingleses (5%) investem mais na zona da Foz, próximo do colégio britânico, mas também na zona da baixa do Porto, enquanto os alemães (4%) procuram por casas mais contemporâneas na zona da Foz.

Os compradores estrangeiros têm no geral mais de 50 anos e os investimentos são movidos pela sua vida profissional. Ao nível das habitações, procuram maioritariamente casas com espaço ao ar livre de forma a aproveitar o bom tempo.  Na maioria são penthouses.

“O imobiliário no Grande Porto tem vindo a crescer consideravelmente. Os investidores cada vez mais procuram a reabilitação de imóveis para residência fixa, especialmente nas zonas costeiras. Miramar, Granja, Foz e Matosinhos todas estas zonas têm tido uma grande reabilitação o que tem levado a uma forte procura internacional e também com que haja um maior investimento nos
arredores da cidade do Porto. Cada vez mais se notam menos diferenças entre o Porto e as áreas circundantes”, refere Gustavo Soares, Managing Director da Engel & Völkers Porto.

A zona da Foz é a mais cara, onde os preços das casas vão desde 280 a quase 400 mil euros para apartamentos T2, enquanto as moradias ascendem até 3,5 milhões de euros.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.