O instrumento de navegação foi descoberto há cinco anos ao largo de Omã, no local onde, supostamente, duas naus terão naufragado, em 1503. No entanto, só agora ficou provado que o astrolábio foi  fabricado entre 1496 e 1501. O instrumento de navegação foi utilizado pela armada portuguesa na segunda expedição de Vasco da Gama à Índia.

Aportadas perto da pequena ilha de Al Hallaniyah, a poucos quilómetros do litoral de Omã, na Península Arábica, as naus Esmeralda e São Pedro afundaram em 1503 após uma forte tempestade. O astrolábio, de 175 mm de diâmetro com 344 gramas, foi um dos artefactos mais importantes recuperados a partir dos destroços do Esmeralda.

Os auditores do Guinness Book certificaram que, de fato, o astrolábio de Sodré é o mais antigo de que se tem registo entre os 104 exemplares conhecidos no mundo, após uma análise do espaço entre as marcas da escala do objeto.

Os astrolábios foram usados ​​pela primeira vez no mar numa viagem portuguesa pela costa oeste da África em 1481. Depois disso, foram utilizados para navegação durante as mais importantes explorações do final do século XV, incluindo aquelas lideradas por Bartolomeu Dias, Cristóvão Colombo e Vasco da Gama. São considerados os mais raros e mais apreciados artefactos que podem ser encontrados em antigos naufrágios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.