Todos os passageiros que chegam aos Emirados Árabes Unidos devem apresentar um teste de COVID-19 negativo, realizado, no máximo, 96 horas antes da viagem. Os passageiros de países de alto risco e aqueles que apresentam sintomas são frequentemente submetidos a exames secundários no aeroporto. As autoridades do aeroporto Internacional de Dubai estão agora a receber a ajuda de cães farejadores da polícia, que são capazes de detetar o vírus em humanos com 94% de precisão.

O processo não invasivo requer que os funcionários da Autoridade de Saúde de Dubai colham amostras de suor dos passageiros. A amostra é então colocada num pote com uma abertura em forma de funil para ser farejada pelos cães a uma distância segura. Não há contacto direto entre os cães e a amostra ou o passageiro. Se o cão detetar um resultado positivo, o passageiro é submetido a um teste de recolha nasal.

Enquanto estavam na Alemanha, investigadores da Universidade de Medicina Veterinária de Hanover treinaram cães farejadores do exército para distinguir entre amostras de fluidos coletadas de pacientes saudáveis ​​e de pacientes infetados com COVID-19. Os cães tiveram uma taxa de deteção precisa de 94%.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.