Com a chegada de março, sinónimo de bom tempo, a Skeleton Sea, coletivo de artistas, sugere um novo passeio por Lisboa e arredores.

O coletivo, que já transformou mais de 100 toneladas de resíduos recolhidos de praias, aterros, resíduos, sucatas, despojos, entre outros, em arte, tem o seu trabalho exposto pela capital.

Neste sentido, já é possível realizar um roteiro que pretende sensibilizar os portugueses para a preservação do nosso planeta.

1. “The Machine” na Praça do Campo Pequeno

Instalação artística feita a partir de 500 quilos de lixo aterra na Praça do Campo Pequeno
Instalação artística “The Machine” da Skeleton Sea, na Praça do Campo Pequeno (Lisboa).

Composto por mais de 500kg de resíduos, esta obra de arte é a interpretação artística da Skeleton Sea de uma criatura do universo do videojogo Horizon Forbidden West, um exclusivo PlayStationⓇ. A peça partilha os mesmos valores do jogo e pretende sensibilizar para a preservação do planeta. Ao analisar os detalhes é possível perceber o que a compõe, tal como partes de um aspirador, uma moto e até uma escavadora.

2. “Sea Monster” no Parque das Nações

Sea Monster
Sea Monster no Parque das Nações créditos: Skeleton Sea

No lago adjacente ao Oceanário de Lisboa é possível encontrar um monstro marinho com 60 metros que é composto por mais de 12 toneladas de garrafas de plástico. A instalação pretende sensibilizar para o consumo excessivo do plástico e que por isso não se deve “alimentar” ainda mais este monstro.

3. “Indoor Exhibition" no Oceanário de Lisboa

Indoor Exhibition
Indoor Exhibition"no Oceanário de Lisboa créditos: Skeleton Sea

Ao visitar o interior do Oceanário de Lisboa, para além dos animais marinhos que acompanham o local, pode-se ver a exibição permanente da Skeleton Sea. Esta é composta por materiais recolhidos e reaproveitados após serem transformados em peças de arte com a forma de animais.

4. “A Pérola de Água” em Santo António dos Cavaleiros

“A Pérola de Água” em Santo António dos Cavaleiros
A Pérola de Água em Santo António dos Cavaleiros créditos: Skeleton Sea

Após ver as instalações artísticas no centro de Lisboa, o roteiro continua dentro da Grande Lisboa, nomeadamente em Loures.

O grupo de artistas transformou a rotunda principal de Santo António dos Cavaleiros numa obra de arte com esta peça que pretende destacar a importância de preservar a fauna e a flora do nosso planeta;

5. “Tiger Shark” no Posto de Turismo da Ericeira

Tiger Shark no Posto de Turismo da Ericeira
Tiger Shark no Posto de Turismo da Ericeira créditos: Skeleton Sea

Em exibição permanente, esta é mais uma das obras artísticas do coletivo localizada fora do centro de Lisboa. Com 250 cm de comprimento, esta criatura marinha é composta por vários resíduos encontrados em praias e áreas costais. Tem uma aparência mecânica, característica da interpretação artística desta coletiva.

Desde 2005 que a arte da Skeleton tem vindo a sensibilizar os portugueses para a importância de gerir os resíduos de uma forma responsável. É algo que caracteriza o trabalho desenvolvido por João Parrinha, Xandi e Isabell Kreuzeder, que não pretendem parar de espalhar a sua mensagem ambiental enquanto apelam à preservação do nosso planeta.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.