São números contabilizados até outubro de 2015, mas já foram o suficiente para ultrapassar os de 2014. Cerca de 760 mil passageiros viajaram pela Via Navegável do Douro (VND) em pequenas embarcações, cruzeiros de um dia ou barcos hotéis.

Falta ainda contabilizar os meses de novembro e dezembro pelo que os valores de 2015 podem “chegar a uma ordem de grandeza a rondar os 900 mil passageiros”, adianta a responsável pela Delegação do Douro da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

“Está claro que o rio Douro vai de vento em popa enquanto canal de navegação turística”, sublinhou.

O bom desempenho registou-se em todos os segmentos de negócio ligados ao turismo fluvial, onde existem 38 operadores e 99 embarcações. Em 2010 operavam neste rio 58 embarcações.

Cruzeiros em alta

Os cruzeiros na mesma albufeira representam 67% da totalidade de passageiros da VND, movimentando cerca de 500 mil pessoas este ano.

Trata-se de viagens com duração variável, de uma hora ou hora e meia, e que se concentram principalmente nas zonas do Porto-Gaia, e depois também, em menor escala, em Entre-os-Rios, Régua, Pinhão, Foz do Sabor e Pocinho.

Na sua maioria são os estrangeiros que mais optam por estas viagens (57%).

Aquele que é considerado o produto mais exportador do rio Douro, o barco hotel, alcançou os 54 mil passageiros. A maior parte dos passageiros que opta por viajar a bordo destas embarcações é proveniente dos Estados Unidos da América (29%), seguindo-se a França (19%) e Alemanha (11%).

Raquel Maia frisou que o Douro está também a contribuir para as exportações porque, salientou, grande parte dos passageiros são estrangeiros.

“Eles vêm cá ver o Douro e o mesmo é dizer que estamos a exportar o Douro”, salientou.

Depois, os cruzeiros de um dia ultrapassaram os 185 mil passageiros, registando um aumento de 25% comparativamente a 2014.

Estes barcos navegam principalmente nos trajetos Porto-Régua-Porto, Régua-Pinhão-Régua e Régua-Barca d’Alva-Régua e a esmagadora maioria dos seus passageiros é portuguesa (93%).

Raquel Maia destacou ainda o aumento da navegação de recreio, com muitos a optarem por alugar embarcações sem tripulação para viajarem livremente pelo rio.

A Via Navegável do Douro foi inaugurada em toda a sua extensão em 1990. São 210 quilómetros desde Barca d’Alva até ao Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.