Chamado Open Heritage, permite visitas virtuais a monumentos edificados e naturais em risco com precisão milimétrica, afirmou a empresa Google, que é a parceira do projeto com a organização não-governamental CyArk, que já faz esse trabalho desde 2003.

Foi a destruição pelos fundamentalistas talibãs de estátuas de Buda com 1.500 anos no Afeganistão que levou à criação da Cyark, que já recriou em três dimensões de monumentos como a cidade de Teotihuacan ou o memorial de Lincoln, em Washington.

Os modelos e recriações estão disponíveis na Internet e podem ser vistos em qualquer computador, telemóvel ou dispositivo de realidade virtual, permitindo simular vistas de vários monumentos mundiais.

Os templos de Bagan, em Myanmar, o complexo de ruínas maias de Chichén Itzá, no México, ou a Cidade Velha, de Cabo Verde, são outros locais que podem ser visitados no site do projeto.

Conheça aqui o site do Open Heritage.

Fonte: Lusa

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.