As fotografias eternizam momentos e, por vezes, são o motivo pelo qual vamos até determinado destino. Para além das memórias e das histórias que trazemos connosco, as fotografias são uma das heranças mais especiais de qualquer viagem e que também nos ajudam a mostrar aos outros aquilo que vimos.

Para os viajantes que também gostam de fotografar e partilhar as suas experiências online, reunimos as melhores dicas para que as fotos da sua próxima viagem sejam ainda melhores. Fique a conhecer.

Tire muitas fotografias do mesmo objeto

Fotógrafos como Alistair Taylor-Young, com mais de 25 anos de experiência e colaborador da Condé Nast Traveller desde o seu lançamento, acreditam neste método. De acordo com Alistair, o melhor é tirarmos muitas fotos ao mesmo objeto sob diferentes ângulos e sempre a mudar o foco na tela do telemóvel. Experimente. Mais tarde selecione as melhores e edite se necessário.

Antecipe os momentos

Tire proveito da opção burst se o seu smartphone tiver esta opção. O ideal é tirar múltiplas imagens enquanto a ação acontece. Não pare de fotografar, depois é só escolher a melhor.

Evite aumentar o zoom

Nunca se esqueça que "o melhor zoom são as pernas".  Sempre que possível opte por aproximar-se do objeto ao invés de utilizar o zoom. Na maioria das situações, o zoom deixa a foto tremida, pixelizada.

Fotografe com luz do dia e sem flash

Tire proveito da luz do dia e utilize o flash só como última hipótese, mesmo que seja à noite. Recorde-se que procura destacar o melhor da realidade e o flash faz com que a luz fique artificial. Para além disto, o flash fica na cara dos elementos que estão a ser focados e, caso o elemento esteja muito próximo, pode estourar a luz.

É claro que às vezes o flash é útil. Se, por exemplo, quiser tirar uma fotografia num lugar onde a luz vem de encontro à câmara (quando o sol bate direto na câmara),  o flash pode ajudar: talvez consiga tirar uma fotografia ao seu grupo de amigos com o sol por trás sem deixar os rostos escuros. Mas é só uma hipótese.

Em ambientes em que não há luz natural, então recorremos ao flash. Nestas situações, sabemos que a iluminação não vai ficar grande coisa, porém, era a nossa única hipótese.

Em relação à fotos de refeições e outras iguarias, David Loftus, profissional que já fotografou mais de 100 livros de receitas que incluem Jamie Oliver, April Bloomfield e Rachel Khoo, explica que estas não necessitam de muita luz. Quanto ao flash, para ele, não só irrita as pessoas nos restaurantes como também dá sombras horríveis.

Experimente

Rompa com as regras da composição convencional. Phedon Papamichael, vencedor do Óscar de Melhor Fotografia com o filme Nebraska, defende esta ideia e explica que raramente centra os objetos. É uma forma de guiar o olhar até ao objeto, mas também de mostrar o contexto e a relação do elemento com o seu meio envolvente.

Phedon Papamichael sugere que ao editar utilize a inclinação e vinheta para chamar a atenção e dar mais ênfase ao que deseja apresentar. É só uma questão de experimentar.

Explore os diferentes modos que a câmara do seu smartphone oferece. Caso a sua câmara tenha a opção manual, experimente e ajuste os parâmetros da câmara de forma a dar o seu olhar à fotografia.

Tenha cuidado com o smartphone

Cuide do seu smartphone de forma a não riscar o vidro que protege a lente da câmara. Mantenha o smartphone sempre limpo para que esteja sempre pronto a fotografar.

Recorra a aplicações

Há imensas aplicações pagas e gratuitas para editar as suas fotografias ou para substituir a câmara nativa do seu smartphone. Teste diferentes aplicações e guarde as que gostar mais.

Pratique e seja paciente

Tire muitas fotografias, experimente e não desanime. A verdade é que, às vezes, para se fazer uma boa foto, é preciso ter paciência.


Costuma partilhar fotografias no Instagram? Deixe as suas dicas na caixa de comentários

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.