O mapa é uma combinação de pontos, que representam as cidades e linhas que representam as rotas. Embora existam muitos mapas a representar a rede global de rotas, Martin Mansson considerou que eram bastante genéricos e simples. Como não haviam mapas que mostrassem o equilíbrio entre as redes comerciais em escala global e local, Mansson decidiu criar um.

Assim, começou a preencher o mapa com cidades ou locais que, durante os séculos XI e XII, foram relevantes para o comércio, a comunicação ou pela localização estratégica. Nesses 200 anos, alguns locais nasceram e outros desapareceram, alguns até mudaram de nome. Portanto, para facilitar a pesquisa, o criador do mapa optou por representá-los com os nomes atuais.

Usou várias fontes de informação, como a Wikipedia e vários livros sobre as diferentes rotas e, com o Adobe Illustrator e um tablet, criou o primeiro mapa em 2014. Martin Mansson ocupa todo o seu tempo livre a trabalhar no mapa, seja em pesquisas ou a criar gráficos, e estima que já tenha passado entre 600 e 700 horas a trabalhar neste projeto, que teve várias versões ao longo dos anos.

Atualmente, Mansson está a trabalhar numa nova versão do mapa, para que se torne interativo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.