Evite visitar o país entre novembro e fevereiro

As viagens para a Holanda estão mais baratas nesta altura, mas não se deixe enganar. Há uma razão para isso: o tempo. Regra geral, entre novembro e fevereiro o tempo está, no mínimo, terrível. Bastante frio, chuva, vento e nevoeiro. Passam-se vários dias sem se ver céu azul, pelo que uma viagem aos canais nestas alturas pode revelar-se bastante penosa.

No pico do inverno, às 16:30 já é noite escura, nada convidativo para passeios e caminhadas. Quando o sol começa a espreitar e as temperaturas a subir, os parques e esplanadas enchem-se de pessoas. Churrascos, brincadeiras, festivais de música, festas de anos, tudo é motivo para apanhar mais uns raios de sol. Mesmo a paisagem transforma-se completamente, com bairros e jardins públicos cobertos de flores.

Regra geral, a restauração fecha cedo (e não é barata)

Jantar tarde não é nada dutch. Geralmente, almoça-se entre as 12:00/13:00 e janta-se entre as 19:00/20:00. Por isso não estranhe se às 21:30 não lhe aceitem para jantar num restaurante ou mesmo se haja estabelecimentos encerrados a esta hora. O ritmo do país é completamente diferente do de Portugal. Os estabelecimentos abrem mais cedo e fecham mais cedo.

Onde poderá ter alguma sorte é nas cidades maiores como Amsterdão ou Roterdão, mas até aqui convém confirmar na internet antes de se deslocar para o local. O custo de vida na Holanda é mais elevado por isso espere gastar mais dinheiro às refeições.

O ideal é preferir comida de rua ou comprar qualquer coisa no supermercado ao almoço e jantar um pouco melhor à noite. Num restaurante médio os pratos podem ir desde os 15 aos 22 euros, sem entrada, sobremesa ou bebida. Regra geral, um café não custa menos de 1,5 euros e as bebidas são igualmente caras. Vai sentir saudades de Portugal.

Museus, idem

Ir a um museu na Holanda não é uma atividade barata. Para não ter surpresas inesperadas confirme na internet previamente. Por exemplo, uma visita ao Rijksmuseum em Amsterdão custa 17,5 euros. Jovens até aos 18 anos não pagam. Uma entrada no Bojimans Museum, um dos maiores de Roterdão, custa 18,5 euros e os jovens até aos 18 também não pagam.

Mas há várias maneiras de amenizar os preços. Por exemplo, em Amsterdão, se comprar o I Amsterdam City Card tem várias opções de preços consoante o tempo de validade do cartão (24h, 48h, 72h ou 98h), desde os 57 aos 87 euros. Em qualquer uma delas tem pacotes atrativos que incluem entradas grátis nos principais museus e atrações da cidade, descontos em eventos culturais e uso ilimitado dos transportes públicos dentro da cidade.

Em Roterdão, por exemplo, se comprar o Museum Park Ticket por 27,5 euros, tem entradas grátis nos principais museus da cidade: Museum Boijmans Van Beuningen, Het Nieuwe Instituut, Kunsthal, Natural History Museum e o Chabot Museum.

Se planear visitar vários museus, uma alternativa bastante atrativa poderá ser o MuseumKaart (59,90 euros). Poderá comprar o cartão pela internet ou num museu e terá entrada gratuita em cerca de 400 museus em toda a Holanda, incluindo os mais importantes. Se visitar pelo menos quatro ou cinco museus já compensa adquirir o passe. O MuseumKaart tem a validade de um ano.

Outra coisa a ter em conta são os horários dos museus. Regra geral, abrem às 09:00 e fecham às 17:00. Em ponto. Lembre-se, portanto, que ir a um museu às 16:00 poderá ser um desperdício de dinheiro, visto que não terá muito tempo para explorar o espaço.

Não há um multibanco ao virar de cada esquina

Pode parecer uma coisa banal mas a Holanda não é muito amiga de quem está habituado a pagar com dinheiro. Há inclusive estabelecimentos que só aceitam pagamento com cartão.

Antes de viajar confirme com o seu banco que o seu cartão funciona no país, visto que as caixas multibanco (ATM) não existem em grande quantidade como em Portugal. Em sítios menos movimentados poderá ter de andar bastante só para levantar dinheiro. Mas veja pelo lado positivo, sempre queima algumas calorias.

Os transportes públicos (sobretudo o comboio) são caros

Para ter uma ideia, fizemos a seguinte simulação: uma viagem Porto-Aveiro é o equivalente a uma viagem Amsterdão-Roterdão em quilómetros, exceto no preço. Em comboio urbano, pagará 3,45 euros de Porto a Aveiro. Já o preço de uma viagem em comboio urbano de Amsterdão a Roterdão fica por 15 euros. Se planear visitar várias cidades na Holanda confirme sempre os preços dos comboios e coloque a possibilidade de alugar um carro. Se viajar com duas ou três pessoas já consegue poupar algum dinheiro mesmo contando com o preço do combustível.

Existe um cartão recarregável que pode usar em toda a Holanda para viajar em todos os transportes públicos (comboio, autocarro, metro e tram): o OV-chipkaart. Em Amsterdão ou Roterdão, há ainda outras opções económicas para quem quer viajar apenas por um dia, por exemplo. Mas nestes casos, a melhor opção é mesmo alugar uma bicicleta. Vai sentir-se mais holandês.

Não necessita saber holandês (básico) para visitar a Holanda

O povo holandês é bastante acolhedor e hospitaleiro, embora seja difícil fazer amigos para a vida. O dutch pode ser assustador para quem visita o país pela primeira vez mas não há motivo para pânico. Regra geral, qualquer holandês sabe falar (e bem) inglês, e não me refiro só aos mais jovens.

Mas se ainda assim quiser ser cordial para os nativos deixamos um kit básico: Tot ziens (adeus), dank u wel (obrigado), goedemorgen (bom dia), fijne avond (boa noite/bom fim de tarde), een bier, alsjeblieft (uma cerveja, por favor), ein Stroopwafel (esta última dispensa traduções).

Tot ziens!

Links úteis:

Comboios holandeses

Passe único para os transportes públicos

Informações úteis sobre Amsterdão

Informações úteis sobre Roterdão

MuseumKaart

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.