1 – “Viagem de mil milhas para doar pena de ganso”

Pode haver melhor sinal de uma amizade profunda, do que alguém fazer uma longa viagem para entregar um presente de pequeno valor? As relações não se medem em termos económicos e são, sem dúvida, as melhores razões para viajar.

2 – “A bolsa do Sr. Ruan sente vergonha”

Esta expressão idiomática refere-se a um episódio da vida de Ruan Fu, durante a dinastia Jin. Ele fez uma viagem a Huiji levando consigo uma bolsa de pano. Sempre que alguém lhe perguntava o que ele trazia lá dentro, ele prontamente respondia: “Tem apenas uma moeda para lhe fazer companhia, para ele não sentir a vergonha de estar vazio”. Não seja como o Sr. Ruan: viaje com o essencial e isso é bem mais do que uma moeda. Aliás, temos a certeza de que o seu saco de viagem merece bem melhor!

3 – “Vestindo um casaco acolchoado num dia quente”

Há muitos ditados chineses que são intemporais. Este é um bom exemplo, pois percebemos imediatamente o seu sentido. Assim, se não quiser parecer deslocado, escolha bem as roupas que leva numa viagem: informar-se sobre o clima do destino pode dar jeito.

4 – 'A avozinha Liu no Jardim da Grande Vista'

Esta expressão deriva da famosa novela da dinastia Qing, “O Sonho da Mansão Vermelha”. O principal cenário do enredo é o Jardim da Grande Vista. Nesse livro conta-se a história da família Jia. Uma das personagens é a avozinha Liu, uma parente afastada que foi para a cidade procurar assistência. Como era uma senhora simplória do campo, ela cometia muitas gaffes no ambiente sofisticado em que se encontrava. Portanto, é muito importante não ficar assoberbado quando se lida com a diferença. Por isso, quando viajar, não seja como a avozinha Liu.

5 – "O papel é caro em Luoyang"

Crie memórias de viagem: antes, durante e depois. Zuo Si (250-305) era um escritor talentoso e perfecionista. Ele precisou de dez anos para escrever um livro sobre as três capitais dos reinos de Wei, Shu e Wu. Como os poemas foram muito aclamados pela sua qualidade, decidiu-se fazer uma cópia em Luoyang, onde Zuo Si viva. No entanto, o papel rapidamente escasseou. Mais tarde, a alusão “O papel é caro em Luoyang" passou a ser usada para louvar o trabalho literário simultaneamente popular e de grande qualidade. Coisas como comprar bons livros de viagem, tirar notas, usar aplicações, ou fazer fotos ou vídeos, vão definitivamente custar dinheiro e tomar tempo, mas certamente vão criar memórias e adicionar valor à sua viagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.