Com colunas em mármore, esculturas ornamentadas e móveis extravagantes, estas construções refletiam a megalomania de Saddam, que visitou algumas apenas uma ou duas vezes.

Em muitos lugares, as iniciais "S.H." ainda são visíveis como lembrança do déspota que foi derrubado pela invasão liderada pelos EUA em 2003, capturado no final daquele ano e executado em 2006.

A maioria dos palácios foi saqueada durante o caos da invasão. Desde então, apenas algumas das residências palacianas receberam uma segunda vida, muitas vezes como bases militares ou administrações públicas, mais raramente, como museus.

A maioria está vazia, em parte porque o custo de renová-las é proibitivo. No total, são 166 residências oficiais do antigo regime e, enquanto o país ainda procura soluções para estes espaços, conheça alguns na galeria de fotos a seguir.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.