Montanhas, que rivalizam com a majestade dos alpes, glaciares, florestas, vida selvagem e lagos com águas cristalinas de tons incríveis fazem deste lugar o sonho de qualquer amante da natureza.

Banff fica a cerca de 90 minutos de carro de Calgary e o seu parque, hoje Património Mundial da UNESCO, foi o primeiro parque nacional do Canadá e o terceiro no mundo.

Tido como local sagrado para os povos originários, esta área foi colonizada no final do século XIX, depois de “descoberta” em 1883 por três trabalhadores que construíram o caminho de ferro Canadian Pacific Railroad. O potencial comercial das suas fontes termais minerais foi imediatamente reconhecido e favoreceu a construção de unidades hoteleiras e delimitação de piscinas naturais.

Dois anos depois, o governo canadiano criou uma reserva, lançando o sistema de parques nacionais do Canadá e protegendo a área da interferência humana descontrolada.

Parque Nacional Banff
Parque Nacional Banff créditos: Travellight

Para conhecer bem o parque e visitar as suas maiores atrações, o ideal é alugar um carro. Isto permite personalizar o itinerário de acordo com as nossas necessidades e interesses e manter a flexibilidade. Para quem prefere não ter de conduzir, existem muitas excursões e caminhadas organizadas em Banff e nos arredores.

A estrada é bastante cénica e no caminho, para além das montanhas e lagos, conseguimos ver quedas de água e animais selvagens como caribus, alces, cabras de montanha e outros.

A Icefields Parkway (Highway 93) é uma das estradas mais bonitas do Canadá. Atravessa a parte norte do Parque Nacional Banff e a parte sul do Parque Nacional Jasper (outro parque incrível) e forma um elo entre a Trans-Canada Highway 1 e a Yellowhead Highway 16.

Banff
créditos: Travellight
Vida selvagem em Banff
créditos: Travellight

Fiquei hospedada na pitoresca cidade de Banff, um lugar encantador, com ruas largas, lojas de antiguidades, galerias de arte e uma boa seleção de restaurantes e bares.

O hotel onde fiquei na primeira noite - o Fairmont Banff Springs -, parecia um castelo escocês e tinha vistas panorâmicas fabulosas. Foi construído há mais de 100 anos pela Canadian Pacific Railroad e teve como hospedes figuras famosas e históricas como o rei George VI, a rainha Isabel II, Marilyn Monroe e Winston Churchill.

Fairmont Banff Springs
Fairmont Banff Springs créditos: Travellight

A joia de Banff é o Lago Louise, por isso este é o lugar perfeito para começar uma visita ao Parque. A água é fria demais para tomar banho, mas um passeio de canoa é obrigatório. Uma trilha pavimentada acompanha a margem, com belas vistas do lago, dos glaciares, do hotel Fairmont Chateau Lake Louise (onde também passei uma noite) e do Monte Victoria.

Lago Louise
Lago Louise créditos: Travellight

Outras caminhadas interessantes são as que levam até à Planície dos Seis Glaciares (Plain of Six Glaciers) e até ao Lago Agnes.

Durante os meses de verão, existe também um teleférico que opera no Lago Louise (Sightseeing Gondola) que sobe até 2.088 metros, e permite observar a paisagem alpina, fazer caminhadas no topo ou simplesmente desfrutar de uma refeição no restaurante Bistro Whitehorn, que fica a mais de 2.000 metros e está aberto para o pequeno almoço e almoço.

Sightseeing Gondola
créditos: Travellight

O Lago Moraine, no Vale dos Dez Picos, é outra atração tão (ou mais) impressionante que o Lago Louise, no entanto, a meu ver, é melhor porque atrai menos visitantes. A bela água de cor turquesa é cercada por dez picos — cada um com mais de 3.000 metros de altura — e pelo Glaciar Wenkchemna.

O lago está localizado a 13 quilómetros do Lago Louise e perto da área de estacionamento existe uma trilha de caminhada de 1,5 km que percorre a costa noroeste. É uma caminhada fácil, sem subidas nem descidas. Já a caminhada mais bonita envolve uma pequena subida pela Rockpile Trail e conduz até à melhor vista do lago. Isso leva cerca de 20 minutos.

Lago Moraine
Lago Moraine créditos: Travellight

Restaurantes e aluguer de canoas também estão disponíveis nas margens do Lago Moraine.

Mais duas paragens que vale a pena fazer são o Lago Bow, que fica abaixo do Glaciar Crowfoot e do Glaciar Bow, e tem águas calmas e límpidas como um espelho onde se refletem os picos altos das montanhas; e o Lago Peyto, conhecido pela sua intensa cor azul turquesa.

Lago Peyto
Lago Peyto créditos: Travellight

Uma curta estrada ramificada conduz ao magnífico miradouro do Lago Peyto, mas há outro ponto de observação excelente que pode ser alcançado indo a pé por cerca de um quilómetro, desde a área de estacionamento.

O Lago Peyto e toda a zona envolvente é muito agradável no verão, quando os prados estão verdes e cobertos de flores silvestres.

Outras atividades divertidas, que podemos fazer no parque são: andar a cavalo; fazer um cruzeiro de barco no Lago Minnewanka; dar um passeio no Glaciar Athabasca e ver o pôr do sol sobre Banff em Sulphur Mountain.

Banff
Vistas de tirar o fôlego créditos: Travellight

De volta à cidade, o Banff Upper Hot Springs é o lugar perfeito para relaxar após um dia de caminhadas.

Para o povo nativo as fontes termais eram consideradas lugares sagrados e quando os visitantes começaram a deslocar-se até aqui na década de 1880, para aproveitar as águas minerais terapêuticas, já os índios o faziam há muito tempo.

A temperatura da água é mantida entre os 37 e os 40 graus Celsius, o que pode ser um pouco  quente para algumas pessoas, mas para mim estava ótimo.

Banff Upper Hot Springs
Banff Upper Hot Springs créditos: Travellight

Como podem ver, motivos não faltam para visitar o Parque Nacional Banff. Este é, com toda a certeza, um dos lugares mais bonitos da América do Norte.

Sigam as minhas viagens mais recentes no Instagram

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.