Este trabalho de renovação, para o qual foi lançado um processo de licitação internacional em 2018, está programado para os Jogos Olímpicos de 2024, que serão organizados pela capital francesa.

"Temos o objetivo de criar uma grande zona pedonal", ressaltou a presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, na terça-feira. "Vamos ter um jardim extraordinário para ouvir novamente o canto dos pássaros".

O projeto da arquiteta paisagista americana Kathryn Gustafson, batizado "One", venceu a concorrência.

Os veículos não poderão mais acessar a ponte Iéna, que será exclusiva aos peões com acesso para transporte público e meios de transporte suaves, como bicicleta.

O número de faixas para veículos na Avenida Quai Branly passará de quatro para dois, com uma área cujo limite de velocidade será de 20km/h e onde os peões terão prioridade.

No final dos Jogos Olímpicos, um segundo espaço será aberto no Champ de Mars.

Kathryn Gustafson explicou que, com seu projeto, "criaremos o maior espaço de jardins de Paris, com muito mais biodiversidade, muito mais ecologia".

Gustafson é a responsável pelo projeto em Londres da fonte memorial de Diana, a falecida princesa de Gales.

No total, o projeto parisiense inclui 54 hectares e deverá custar 72 milhões de euros (80 milhões de dólares).

A Torre Eiffel recebe sete milhões de pessoas anualmente.

O monumento criado pelo engenheiro Gustave Eiffel para a Exposição Universal de 1889 em Paris celebra seu 130º aniversário este ano. Percorra a galeria e conheça algumas curiosidades sobre o monumento.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.