Bilhete-postal enviado por João Tiago Oliveira

A cidade é enorme e é necessária uma boa organização para se ver os inúmeros monumentos e pontos de atracção. Encontra-se uma mistura. De uma rua para a outra, a sensação visual muda, e desvendamos outro bairro ou outra arquitectura, à medida que se caminha ou entra e saia do metro. Londres tem tanto que ver. Sempre que se visitar de certeza que vai haver algo de novo. É impossível não desviar e visitar algo “logo ali ao lado”. Nesta viagem, existe então o mais importante e antigo que não pode escapar. Vamos então descobrir.

Museu de história Natural

Imponente por fora, delicado por dentro. O seu hall é icónico pelo esqueleto de um T-rex e pela multidão que se aglomera à sua volta. Neste museu podem-se perder vários dias, vasculhando todos os recantos. O ideal é seleccionar as zonas que se pretende ver. A entrada é grátis.

Museu da Ciência

Situa-se logo ao lado do museu de História Natural. Aqui pode-se ver a história e evolução da ciência até aos nossos dias. Tal como o Museu de história Natural está dividido por zonas, mas não é tão grande, o que permite uma visita geral em cerca de duas horas. Vale a pena para os amantes das ciências.

De Trafalgar Square até Westminster Abbey

É um percurso de cerca de vinte minutos. A praça tem uma fonte e uma homenagem à vitória da marinha britânica sobre Napoleão, no início do século XIX. Seguindo pela Whitehall, vão surgindo inúmeros edifícios de interesse histórico, como o Household Calvary Museum, Banqueting House, Ministérios da Saúde e Defesa Britânicos, Churchill War Rooms. No entanto, o mais “importante” é o acesso ao nº10 de Downing Street, a casa do primeiro ministro Inglês. No fim desta avenida encontra-se uma estátua em homenagem a Winston Churchill, no meio de uns jardins verdes e do “caótico” trânsito de Londres. Também estão presentes outros monumentos imponentes, como o relógio Big Ben do Palácio de Westminster e a Abadia de Westminster. Numa das manhãs frias encontra-se uma café expresso à nossa moda, mesmo ao lado da saída da estação de metro de Westminster, em frente ao Big Ben. Por fim, vale mesmo a pena visitar a Abadia de Westminster, túmulo de incontáveis personalidades britânicas. Parecem todas colocadas a monte, numa desorganização controlada.

Ruas de Londres
créditos: João Tiago Oliveira

Buckingham Palace e a troca da guarda real

A troca da guarda real é um evento que atraí milhares de turistas. O melhor é chegar pelo menos trinta minutos antes para poder escolher um lugar razoável. Os horários estão disponíveis no próprio site. Existe um evento preliminar junto ao Museus da Guarda, uma centena de metros antes do palácio na Birdcage Walk. Aqui é possível ver o protocolo um pouco mais tranquilamente. No entanto, o auge é em frente ao Palácio de Buckingham, onde habita a família real inglesa.

Troca da guarda
créditos: João Tiago Oliveira

Ali ao lado, aproveitam-se os jardins para passear. O Londrinos, na mais pequenina brecha de sol, saem para a rua.

Rio Tamisa

Este passeio está incluído no London Pass. É perfeito para uma deslocação na cidade, aproveitando para perceber como a cidade está construída em volta do Rio Tamisa. Uma excelente opção é partir do Pier de Westminster e sair em frente à London Tower. Pelo caminho, um guia vai falando sobre as pontes e edifícios que vão compondo as margens.

Torre de Londres e Tower Bridge

Estes dois emblemáticos monumentos contam um pouco da história de Londres e do país. Na Torre de Londres, aqui e ali, surgem figurinos que nos presenteiam com uma peça de teatro, ilustrando episódios antepassados. Existem, alguns incontornáveis como as jóias da coroa britânica, visita à White Tower e ao palácio Medieval. O próprio site faz um plano conforme se tenha 1, 2 ou 3 horas disponíveis a para visita. Mas o espaço é riquíssimo e vale mesmo a pena visitar com calma, seguindo também pelas ameias do edifício.

Tower Bridge
créditos: João Tiago Oliveira

Logo ali ao lado, a Tower Bridge cruza-se com o Tamisa. Muitos não têm oportunidade de ver a ponte a abrir, um dos principais atractivos da mesma. No entanto, por dentro é possível ver os mecanismos e a história da mesma. Subindo e descendo às torres, atravessando a plataforma superior, esta ponte, única, é um excelente lugar para ser londrino.

Catedral de S. Paulo

Imponente por fora, linda por dentro. Para aproveitar uma visita gratuita, deve-se ir a uma hora em que haja missa. Tem a segunda maior cúpula do mundo.

Soube a pouco, mas Londres é assim. Enjoy it!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.