A pandemia de COVID-19 fez com que os viajantes começassem a procurar cenários seguros e confortáveis para se ligarem à família e amigos, criando oportunidades económicas para que outras pessoas possam ganhar rendimento extra, disponibilizando as suas casas na plataforma Airbnb. Um novo relatório da Airbnb revela que os novos anfitriões com apenas um alojamento que receberam os seus primeiros hóspedes desde o início da pandemia já ganharam mais de 835 milhões de euros.

Em Portugal, os novos anfitriões com um alojamento ganharam mais de 5,2 milhões de euros acumulados desde março. Em Portugal, 62% dos novos anfitriões têm mais de 40 anos, um grupo demográfico onde podemos encontrar casas vazias e muitos proprietários de segundas casas e casas de verão. Os anfitriões na plataforma Airbnb que começaram a acolher durante a pandemia beneficiaram das preferências de viagem dos consumidores, que mudaram.

Segundo comunicado da Airbnb, os alojamentos disponíveis na plataforma Airbnb estão melhor equipados para lidar com viagens de grupo do que os hotéis, e viajar com a família e amigos é o tipo de viagens de que as pessoas mais têm sentido falta.

Num ano em que os destinos locais e as viagens de proximidade têm sido fundamentais, os novos anfitriões mais bem sucedidos em Portugal desde março de 2020 em termos de rendimentos, com um alojamento, estão localizados no Algarve, Lisboa, Setúbal, Leiria, Porto, Braga e Viana do Castelo.

Numa época especialmente difícil para as mulheres trabalhadoras, que foram mais duramente atingidas pela perda de emprego durante a pandemia, a Airbnb estima que 55% destes novos anfitriões são mulheres (49% em Portugal).

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.