• Perdidos na selva do Bornéu
    Perdidos na selva do Bornéu
    Perguntam-nos, com alguma frequência, qual a história mais louca, mais curiosa e, acrescentaríamos, mais imprevisível e aventureira desta longa viagem. Até agora é esta que partilhamos aqui, convosco: a nossa chegada ao Bornéu.
  • Georgetown: a cidade mais 'cool' da Malásia
    Georgetown: a cidade mais 'cool' da Malásia
    Da 'street art', iniciada na Armenian street com o famoso ‘kids on bicycle’ pintado por Ernest Zacharevic, passando pela riqueza e diversidade: arquitectural e cultural. Sem esquecer de que se trata da capital gastronómica da Malásia, numa espécie d
  • Desconectados das tecnologias - ligados à terra
    Desconectados das tecnologias - ligados à terra
    Pousamos os relógios, desligamos os telemóveis, a tv, apesar de fisicamente presente, nem à corrente foi ligada. Foi tempo de guardar as vacas, pastar as ovelhas, apanhar limões e dar mergulhos, com direito a pirolitos. Foi tempo nu de horas, minutos
  • O triângulo que une três países
    O triângulo que une três países
    Alguém escolheu este lugar, bem a norte da Tailândia, para brincar aos deuses: construíram-se templos que depois se abandonaram; desenharam-se arco-íris nas fachadas das casas e deu-se a forma triangular a um pedaço de terra, fazendo-o ficar refém de
  • O mais surpreendente (e estranho) templo da Tailândia
    O mais surpreendente (e estranho) templo da Tailândia
    E se o nosso imaginário ganhasse mãos? E se as mãos do nosso imaginário moldassem o mundo, lhe dessem forma, como plasticina nas mãos de uma criança? Provavelmente, criaríamos algo próximo do Wat Rong Khun, o famoso Templo Branco, em Chiang Rai, Tail
  • Chiang Mai, o paraíso dos nómadas digitais na Tailândia
    Chiang Mai, o paraíso dos nómadas digitais na Tailândia
    Chiang Mai, a Cidade Nova ou a Rosa do Norte, hoje é a segunda maior cidade do país e o centro cultural da Tailândia. Descontracção, boa comida, preços baixos, um bom escape ao turbilhão acelerado de Bangkok. Razões suficientes para ser considerada
  • Flores e cor: um passeio pelo Pak Khlong Talat de Bangkok
    Flores e cor: um passeio pelo Pak Khlong Talat de Bangkok
    Um passeio pelo Pak Khlong Talat – o mercado das flores ou mercado das orquídeas – chegaria para pintar os pensamentos mais escuros de cores vivas e sorrisos. A mercadoria chega das muitas províncias do país, ora transportada pelas águas do rio Chao
  • O comboio feito de bambu, uma atração única no mundo
    O comboio feito de bambu, uma atração única no mundo
    É ao ritmo e som de um passeio de comboio que vos contamos a nossa visita a Battambang, é que este "bamboo train" é uma das grandes atracções desta que é a quarta maior cidade do Cambodja. E, confessámos, percorrer estes trilhos, únicos no mundo, mar
  • Vidas sem filtros pelo rio Sangkae, no Camboja
    Vidas sem filtros pelo rio Sangkae, no Camboja
    Passámos, lado a lado, com as casas e as gentes que as habitam: uns dormem, outros comem, outros tomam banho. Há roupa estendida e roupa por estender. Homens que consertam as tábuas dos barcos, das casas. Barcos que carregam lenha, para os cozinhados
  • O circo que faz das crianças de rua artistas
    O circo que faz das crianças de rua artistas
    Neste circo do Camboja os artistas têm em comum: um passado marcado por abusos, negligência, pobreza, abandono e rua, a rua onde moravam até a instituição Phare Ponleu Selpak os acolher. Neste espectáculo 'falam' dos medos e das angústias.
  • Angkor Wat - com crianças?
    Angkor Wat - com crianças?
    Quem já ouviu: ‘Esse lugar não é para crianças’ ? Acredito que, a dado momento, todos os pais o tenham ouvido. Nós resolvemos explorar os templos de Angkor em família e partilhamos aqui o resultado.
  • China: Quantas razões precisa para ir?
    China: Quantas razões precisa para ir?
    Uma lista, não exaustiva, de razões para visitar este país, cuja história conta com mais de dez mil anos e uma das civilizações mais antigas do mundo. São 10 mas poderiam ser 100. Conheçam-nas e visitem a fotogaleria.
  • Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Estamos no lugar dos templos, dos mais importantes templos do mundo. Naquele que é o maior símbolo do Cambodja, património da humanidade (desde 1992) e a maior estrutura religiosa alguma vez construída. Posso dizer: nunca a obra do homem me pareceu t

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.