• China: Quantas razões precisa para ir?
    China: Quantas razões precisa para ir?
    Uma lista, não exaustiva, de razões para visitar este país, cuja história conta com mais de dez mil anos e uma das civilizações mais antigas do mundo. São 10 mas poderiam ser 100. Conheçam-nas e visitem a fotogaleria.
  • Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Estamos no lugar dos templos, dos mais importantes templos do mundo. Naquele que é o maior símbolo do Cambodja, património da humanidade (desde 1992) e a maior estrutura religiosa alguma vez construída. Posso dizer: nunca a obra do homem me pareceu t
  • Ásia: Atravessar a fronteira no meio de um rio
    Ásia: Atravessar a fronteira no meio de um rio
    Uma fronteira onde apenas se chega pelas águas do Mekong, uma fronteira que divide o rio em águas vietnamitas e águas Khmer. E nas mãos levamos: numa o passaporte, e a outra é uma mão cheia de vontade de um visto para o Cambodja.
  • O misterioso rio Mekong  e as vidas que sustenta
    O misterioso rio Mekong e as vidas que sustenta
    Abraçamos o Mekong (Mae Nam Khong), esse que é a água mãe, a mãe dos rios, e que acolhe na sua bacia uma biodiversidade que é das mais ricas do mundo. Podemos estar no Mekong e estar em seis países diferentes. As suas margens e águas são, há mais de
  • 100 dias de viagem e um novo ano pela frente
    100 dias de viagem e um novo ano pela frente
    Eis-nos com 100 dias de viagem. Com um ano a fechar-se, com um ano (novo) a abrir-se às mil possibilidades. Faz hoje 100 dias, que ganhámos aos medos, que pusemos a nossa casa numa mochila e fizemos do coração bússola.
  • Um presente de Natal que cresce com a criança
    Um presente de Natal que cresce com a criança
    Foi a quatro mãos que abrimos a terra para lhe dar (mais) vida. Foram estas mãos que trazemos – e que se conheceram quando ainda mal tinham histórias nas suas linhas – que pegaram na pá, que abriram a terra e que a encheram com as raízes da árvore qu
  • De bicicleta por Hôi An: a essência do Vietname mora aqui
    De bicicleta por Hôi An: a essência do Vietname mora aqui
    Têm a bicicleta à mão? Subam para ela e venham connosco. Atravessemos juntos este caminho estreito, desenhado no meio dos arrozais, o verde repete-se: à direita, à esquerda. Sintamos o vento: passa-nos pelos cabelos, protegidos num lenço enrolado. E
  • Barcos redondos? Venha conhecê-los no Vietname
    Barcos redondos? Venha conhecê-los no Vietname
    Perguntar-se-ão, estes homens, sobre a fibra de que são feitos? Enfrentam a rebentação das ondas, em pé, com um remo que os sustenta, o mesmo com que comandam o barco. Pelo percurso vão largando as redes e com elas as bandeiras vermelhas – como a do
  • Anda comigo ver os arrozais em Sapa no Vietname
    Anda comigo ver os arrozais em Sapa no Vietname
    Estamos no meio dos arrozais, perdidos algures pelo vale Muong Hoa. Connosco, além da Say, há um grupo de mulheres que nos acompanham durante esta caminhada, pertencem à tribo Hmong e são facilmente identificadas pelos seus trajes pretos tradicionais
  • Conheça a mais bela baía do mundo - Ha Long Bay
    Conheça a mais bela baía do mundo - Ha Long Bay
    Há um lugar no mundo onde um dragão mora no oceano. Correu das montanhas para se esconder nas águas. Enquanto corria, a sua cauda afundou a terra, desenhou vales e estes encheram-se de água, deixando a descoberto pedaços de terra que saem do mar, ond
  • Marionetas na água, a arte milenar que nasceu no Vietname
    Marionetas na água, a arte milenar que nasceu no Vietname
    Era domingo – tínhamos um bilhete nas mãos, na parte de trás marcava 21h15, 100’000 dongs vietnamitas e na frente lia-se assim: Nhà Hát Múa Rôi Thang Long (Thang Long Puppet Theatre). Fomos ao mais famoso teatro de marionetas na água.
  • Beber café no Vietname: uma experiência única
    Beber café no Vietname: uma experiência única
    "Negro como o diabo, quente como o inferno, puro como um anjo, doce como o amor". A citação é de Charles Maurice de Talleyrand-Perigord, um político e diplomata francês e figura controversa na história do país. E, excluindo a última parte da frase -
  • Good Morning Vietname – o caos de Hanói
    Good Morning Vietname – o caos de Hanói
    Hanói acorda às 6h e às 6h de cá já não há cama em que caibamos, agitam-se os corpos, mesmo mal dormidos (de um dia inteiro de viagem). Agitam-se como se copiassem a agitação lá fora: buzinas, pessoas a falar, galos a cantar, tudo ao mesmo tempo e tu
  • Adeus, China: o senhor que desenha olhos com as mãos
    Adeus, China: o senhor que desenha olhos com as mãos
    Em viagem, cruzamos-nos com rostos desconhecidos muitas vezes por dia: rostos que nunca vimos antes, rostos que nunca veremos de novo. Neste dia, deixaríamos a China e, de todos os olhos, guardámos os do senhor de olhos pequenos que parecia receber-
  • Yangshuo, paisagens incríveis da China
    Yangshuo, paisagens incríveis da China
    A terra dançou danças irrepetíveis para fazer nascer Yangshuo. Não vos vou falar dos movimentos das placas tectónicas, disso falar-vos-ia se não tivesse cá estado, se não tivesse sentido Yangshuo. O que aqui há tem de ter nascido no coração de alguém
  • Lijiang, a bela cidade no sudoeste da China
    Lijiang, a bela cidade no sudoeste da China
    É do cimo de Lijiang que vos falo, com uma parte da cordilheira do Himalaia no horizonte. Estamos na Província de Yunnan, no sudoeste da China. Subimos o Lion Hill Park, atravessámos o Pavilhão Wangu para vermos de cima os telhados negros, a calçada

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.