• Flores e cor: um passeio pelo Pak Khlong Talat de Bangkok
    Flores e cor: um passeio pelo Pak Khlong Talat de Bangkok
    Um passeio pelo Pak Khlong Talat – o mercado das flores ou mercado das orquídeas – chegaria para pintar os pensamentos mais escuros de cores vivas e sorrisos. A mercadoria chega das muitas províncias do país, ora transportada pelas águas do rio Chao
  • O comboio feito de bambu, uma atração única no mundo
    O comboio feito de bambu, uma atração única no mundo
    É ao ritmo e som de um passeio de comboio que vos contamos a nossa visita a Battambang, é que este "bamboo train" é uma das grandes atracções desta que é a quarta maior cidade do Cambodja. E, confessámos, percorrer estes trilhos, únicos no mundo, mar
  • Vidas sem filtros pelo rio Sangkae, no Camboja
    Vidas sem filtros pelo rio Sangkae, no Camboja
    Passámos, lado a lado, com as casas e as gentes que as habitam: uns dormem, outros comem, outros tomam banho. Há roupa estendida e roupa por estender. Homens que consertam as tábuas dos barcos, das casas. Barcos que carregam lenha, para os cozinhados
  • O circo que faz das crianças de rua artistas
    O circo que faz das crianças de rua artistas
    Neste circo do Camboja os artistas têm em comum: um passado marcado por abusos, negligência, pobreza, abandono e rua, a rua onde moravam até a instituição Phare Ponleu Selpak os acolher. Neste espectáculo 'falam' dos medos e das angústias.
  • Angkor Wat - com crianças?
    Angkor Wat - com crianças?
    Quem já ouviu: ‘Esse lugar não é para crianças’ ? Acredito que, a dado momento, todos os pais o tenham ouvido. Nós resolvemos explorar os templos de Angkor em família e partilhamos aqui o resultado.
  • China: Quantas razões precisa para ir?
    China: Quantas razões precisa para ir?
    Uma lista, não exaustiva, de razões para visitar este país, cuja história conta com mais de dez mil anos e uma das civilizações mais antigas do mundo. São 10 mas poderiam ser 100. Conheçam-nas e visitem a fotogaleria.
  • Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Angkor Wat: os templos que a natureza engoliu
    Estamos no lugar dos templos, dos mais importantes templos do mundo. Naquele que é o maior símbolo do Cambodja, património da humanidade (desde 1992) e a maior estrutura religiosa alguma vez construída. Posso dizer: nunca a obra do homem me pareceu t
  • Ásia: Atravessar a fronteira no meio de um rio
    Ásia: Atravessar a fronteira no meio de um rio
    Uma fronteira onde apenas se chega pelas águas do Mekong, uma fronteira que divide o rio em águas vietnamitas e águas Khmer. E nas mãos levamos: numa o passaporte, e a outra é uma mão cheia de vontade de um visto para o Cambodja.
  • O misterioso rio Mekong  e as vidas que sustenta
    O misterioso rio Mekong e as vidas que sustenta
    Abraçamos o Mekong (Mae Nam Khong), esse que é a água mãe, a mãe dos rios, e que acolhe na sua bacia uma biodiversidade que é das mais ricas do mundo. Podemos estar no Mekong e estar em seis países diferentes. As suas margens e águas são, há mais de
  • 100 dias de viagem e um novo ano pela frente
    100 dias de viagem e um novo ano pela frente
    Eis-nos com 100 dias de viagem. Com um ano a fechar-se, com um ano (novo) a abrir-se às mil possibilidades. Faz hoje 100 dias, que ganhámos aos medos, que pusemos a nossa casa numa mochila e fizemos do coração bússola.
  • Um presente de Natal que cresce com a criança
    Um presente de Natal que cresce com a criança
    Foi a quatro mãos que abrimos a terra para lhe dar (mais) vida. Foram estas mãos que trazemos – e que se conheceram quando ainda mal tinham histórias nas suas linhas – que pegaram na pá, que abriram a terra e que a encheram com as raízes da árvore qu
  • De bicicleta por Hôi An: a essência do Vietname mora aqui
    De bicicleta por Hôi An: a essência do Vietname mora aqui
    Têm a bicicleta à mão? Subam para ela e venham connosco. Atravessemos juntos este caminho estreito, desenhado no meio dos arrozais, o verde repete-se: à direita, à esquerda. Sintamos o vento: passa-nos pelos cabelos, protegidos num lenço enrolado. E
  • Barcos redondos? Venha conhecê-los no Vietname
    Barcos redondos? Venha conhecê-los no Vietname
    Perguntar-se-ão, estes homens, sobre a fibra de que são feitos? Enfrentam a rebentação das ondas, em pé, com um remo que os sustenta, o mesmo com que comandam o barco. Pelo percurso vão largando as redes e com elas as bandeiras vermelhas – como a do

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.