Estas 15 dicas de viagem foram escritas com base nas minhas próprias experiências de viagem. O objectivo:  fazer com que volte para casa com as melhores recordações possíveis das suas próprias aventuras pelo mundo. Serão especialmente úteis caso esteja a planear a sua primeira grande viagem. Mas mesmo que não seja a sua primeira aventura por destinos longínquos, poderão ajudar a aproveitar de forma diferente a experiência numa próxima vez. Boas viagens!


1. Viaje o mais leve possível


No dia em que for comprar a sua mochila ou mala vai sentir a tentação de comprar a maior que lá houver. Não quer ter de deixar nada para trás por não ter espaço na mala, e quer ainda ter espaço suficiente para todas as traquitanas e souvenirs que planeia trazer para casa. O primeiro conselho que dou? Resista a essa tentação. Não há nada pior do que andar com a casa atrás em viagem. Acredite, não vai precisar assim de tanta coisa.  E para além do facto de andar com menos peso atrás, pense também no dinheiro que vai poupar ao não ultrapassar o limite de peso de bagagem estabelecido por algumas companhias aéreas.


Este artigo sobre O que levar na mala para longas viagens poderá dar uma ajudar extra.


2. Faça um seguro de viagem.


Acredite, se alguma coisa puder correr mal, vai correr mal. Por isso trate de fazer um seguro de viagem antes de partir, que cubra eventuais furtos ou perdas, problemas de saúde, perda de voos e afins. Viajar de consciência tranquila é a melhor forma de conseguir ter as melhores recordações possíveis quando voltar para casa, e é uma das melhores dicas de viagem que eu poderia dar. Um dos seguros mais recomendados e mais completos do mercado é o da World Nomads. É o que eu uso sempre.


Veja o artigo Seguro de viagem | Vantagens, Coberturas e Simulação para mais info sobre o assunto.


3. Marque uma Consulta do Viajante.


O objectivo é ter uma viagem tranquila e evitar ao máximo ficar de cama a meio da viagem, trancado no wc, ou trazer algo menos bom consigo para casa, certo? Ok, então uma das melhores dicas de viagem que posso dar é a marcação de uma Consulta do Viajante, 4 a 6 semanas antes de partir, para poder levar as vacinas adequadas dependendo do país de destino e as receitas para os medicamentos essenciais a meter na mala. Visite o Portal da Saúde Português para mais informações.

4. Descarregue uma app de GPS.


Não imagina o jeito que vai dar ter um mapa na palma da sua mão quando está a tentar encontrar o caminho de volta para o seu hotel no meio de uma cidade desconhecida, ou dentro de um táxi quando acha que o taxista o está a tentar enganar com o caminho. Eu descarreguei a “maps.me” (é gratuita) e até agora nunca me deixou mal.

5. Não planeie demasiado


Antes de partir é bom ter uma ideia dos sítios que quer mesmo visitar mas não se feche demasiado num itinerário. Vai conhecer diferentes pessoas e vai ouvir falar de sítios de que nunca tinha ouvido falar antes, quando lá estiver. Os melhores momentos são aqueles de que não estávamos à espera.


Leia este artigo com dicas úteis sobre Como planear uma viagem de forma independente.


6. Experimente ficar em homestays


Sim, num hostel tem a oportunidade de conhecer muitos outros viajantes e num hotel tem todo o conforto e privacidade a que está habituado em casa. Mas experimente (nem que seja por 2 noites apenas) ficar numa homestay. As homestays são basicamente casas onde realmente vivem famílias locais onde poderá ficar por valores normalmente bastante acessíveis, dando a oportunidade de conviver com os locais e aprender mais sobre a sua cultura, os seus costumes e o seu dia-a-dia.


Leia este artigo para mais dicas sobre Como e onde reservar alojamento.


7. Aprenda as frases básicas.


Aprenda a pelo menos dizer “olá”, “obrigada”, “desculpe”, “bom dia”, “boa tarde”… O “hello“, “thank you” e afins são reconhecidos em praticamente todo o mundo, mas nunca fez mal a ninguém aprender algumas pequenas palavras de forma a interagir um pouco mais com a cultura local.

8. Respeite os costumes e tradições locais


Quando visita a casa de alguém é suposto respeitar as suas regras como forma de boa educação, certo? Aplica-se o mesmo quando visita outro país: as regras e costumes poderão ser diferentes do que está habituado em casa, e poderão por vezes até não fazer muito sentido para si, mas por boa educação, respeite-as. É uma visita. Pediu autorização para entrar e foi-lhe dada. A única coisa que lhe é exigida é que respeite a população local e os seus costumes.


Veja também o artigo O que não fazer em viagem em 14 países diferentes.


9. Interaja com os locais


É normal termos a tendência de nos juntarmos e interagirmos mais com outros viajantes quando viajamos. Especialmente com aqueles que partilham a mesma cultura ocidental que nós. A população local acaba por fazer apenas “parte da paisagem” e acabamos por ter receio de interagir com os locais por não sabermos bem como abordá-los. Na sua próxima viagem, tente sair um pouco da sua zona de conforto e interaja mais com quem vive naquele país em questão. Vai-se surpreender com a generosidade, carinho e espontaneidade que recebe em troca. E volta para casa com uma experiência muito mais completa e enriquecedora.

10. Saia dos trilhos habituais


Não se limite aos roteiros habituais dos guias turísticos. Uma das melhores dicas de viagem que posso dar é a de arriscar e sair dos trilhos de vez em quando. Se o fizer com cabeça e segurança, vai acabar por descobrir um outro lado do país que não vem descrito no Lonely Planet e afins.

11. Seja open-minded


Esqueça preconceitos, tabus, medos, inseguranças. Vai ver que lá, independentemente de ser normalmente introvertido ou extrovertido, vai ser, acima de tudo, você mesmo. Arrisque, faça o que sente que lhe apetece fazer. Meta conversa, sorria, ria, dance, abrace.

12. Evite o gelo e água não engarrafada.


Esta regra aplica-se em particular a destinos de países sub-desenvolvidos onde a qualidade da água não é a melhor e poderá arruinar-lhe a viagem pelo menos durante alguns dias… Não vale a pena arriscar. Se não sabe de onde veio a água ou o gelo que lhe puseram à frente, não beba. Opte antes sempre por água engarrafada e evite o gelo para garantir que não passa mais tempo na casa de banho do que a ver as vistas.

13. Experimente a comida local.


Não ceda à tentação de recorrer a comida a que está normalmente habituado quando estiver num destino exótico. “When in Rome, be roman“. A comida local é normalmente óptima e variada e se os locais sobreviveram uma vida inteira, você também o conseguirá fazer durante umas semanas ou meses. Arrisque e experimente algo que nunca experimentaria em casa.

14. Mantenha o passaporte bem perto de si.


A par dos cartões de crédito/débito, o seu passaporte é sagrado. Se estiver em hotéis decentes com cofre, deixe-o lá. Se não, ande sempre com ele. E lembre-se de o digitalizar e guardar a cópia no seu email. Isto ser-lhe-á útil caso o perca, facilitando bastante a obtenção de um novo passaporte junto de uma embaixada ou consulado.


Leia mais sobre segurança em viagem aqui: Viajar sozinha em segurança | 15 dicas úteis


15. Mente e braços abertos.


O sorriso que tem estampado na cara e o brilhozinho nos olhos não vão deixar ninguém indiferente. Vai conhecer pessoas de todo o mundo, ansiosas por partilhar a sua experiência e momentos felizes consigo. Receba-as de mente e braços abertos e aproveite até ao último momento, não há nada melhor.