• A surpresa de Vilar Maior
    A surpresa de Vilar Maior
    Aldeia bem cuidada, a igreja matriz é bonita, o museu preserva o espaço que foi o símbolo do município e, na subida para o castelo, destaca-se o casario de granito que não foi destruído nem profundamente desvirtuado. Só por isto valeu a pena fazer o
  • Santana do Campo tem óptimos anfitriões
    Santana do Campo tem óptimos anfitriões
    Santana do Campo é uma aldeia da freguesia de Arraiolos e tem a particularidade de ter uma igreja que reutiliza pilares de um templo romano. Destaca-se também por no largo da aldeia haver ótimos anfitriões
  • Alqueva: descubra o Grande Lago
    Alqueva: descubra o Grande Lago
    A barragem do Alqueva alterou, significativamente, uma parte do Alentejo. Faz agora 15 anos que foram encerradas as comportas e começou o enchimento da albufeira. Um novo ecossistema para se descobrir e que está em permanente mutação.
  • O fantástico Cromeleque dos Almendres
    O fantástico Cromeleque dos Almendres
    O Obelix que esculpiu estes menires teve muito trabalho. Atualmente, são cerca de uma centena e já foram muitos mais. É o maior monumento megalítico da Península Ibérica e um dos maiores em todo o mundo. Fica no concelho de Évora.
  • Fazer chover em São Brissos
    Fazer chover em São Brissos
    A Anta-Ermida de Nossa Senhora do Livramento é caso raro em Portugal. Por duas razões, pela origem e porque pode ser útil em tempos de estiagem.
  • Escaroupim: das cheias nasceu um paraíso de aves
    Escaroupim: das cheias nasceu um paraíso de aves
    O fascínio começa logo à chegada. No final da rua principal, em frente ao largo, deparamos com uma ilha cheia de aves. Ao final da tarde, o rio Tejo, muito calmo, abraça a ilha verde com inúmeras aves brancas e pretas a regressar ao torreão.
  • Castelo de Almourol, um dos ícones do Tejo
    Castelo de Almourol, um dos ícones do Tejo
    Um lugar belo e misterioso. Para alguns, talvez também seja um símbolo romântico e isso deve-se, em parte, a uma adulteração da estrutura feita no século XIX, que introduziu elementos decorativos. A origem do castelo é desconhecida, talvez um castro
  • Até os elefantes gostavam das Portas de Ródão
    Até os elefantes gostavam das Portas de Ródão
    Duas paredes escarpadas, cada uma com cerca de 170 metros de altura, funcionam como portas e estreitam a passagem do rio. A montante fica um lago que guarda marcas da nossa civilização e até vestígios dos últimos elefantes europeus.
  • O E.T. foi às Termas de Cró
    O E.T. foi às Termas de Cró
    É um excelente cenário para um filme de ficção científica... a chegada de uma nave espacial. Serras enormes com barrocais. Só árvores e mato.
  • Bósnia – é difícil esquecer as feridas da guerra
    Bósnia – é difícil esquecer as feridas da guerra
    Custa a descobrir, pela amargura da guerra civil. No final do séc. XX, a matança no centro da Europa! Muitas casas tinham ainda as cicatrizes da ira étnica e religiosa. Mostar é linda e 'Miss Sarajevo' é para não esquecer. Embarque agora nesta viagem
  • Diversão à beira Tejo
    Diversão à beira Tejo
    O parque ribeirinho de Vila Nova da Barquinha acolhe mais uma edição da Feira do Tejo a partir de 9 de Junho. Um programa de cinco dias com muito para oferecer aos locais e visitantes de todas as idades.
  • Descobrir as iguarias de Arganil
    Descobrir as iguarias de Arganil
    Durante três dias, a vila vai dar a conhecer o que de melhor tem para oferecer no domínio gastronómico numa feira que reúne as várias freguesias do concelho e conta ainda com animação de grupos locais.
  • Cabanas de Viriato é de homens de fibra
    Cabanas de Viriato é de homens de fibra
    Um deles é uma lenda. Terá sido aqui que Viriato se refugiou dos romanos, dando sequência ao seu lema: se não podemos vencê-los pela força, vencê-los-emos pela astúcia. Não há qualquer evidência de que o herói lusitano tenha estado em Cabanas, mas fi
  • Sr. Honorato da Meimoa, o guardião da cultura local
    Sr. Honorato da Meimoa, o guardião da cultura local
    Os da Meimoa dizem que a terra deles é a Princesa da Cova da Beira. Talvez tenham razão para isso. Protegida pela Serra da Malcata e com terrenos férteis, não admira que o local tenha sido habitado por várias civilizações e que o legado cultural seja

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.