LOCAIS PARA IR:

Em Maputo:

O Jardim Tunduro e toda a zona envolvente, não só pelo jardim em si – que é centenário e que tem espécies únicas em todo o continente africano – mas pela mística do local. Foi restaurado nos últimos anos e tem uma estufa fria, além de coretos e espaços muito verdes para relaxar, fotografar ou para feiras culturais. A zona envolvente é igualmente apelativa porque está rodeada pela Casa de Ferro, uma obra de Gustav Eiffel, pelas estátuas de Samora Machel ou pela imponente Sé da Cidade. Depois de passar pelo Jardim Tunduro e de passar pela Casa de Ferro, aproveite o espaço do Centro Cultural Franco-Moçambicano para conhecer o casamento perfeito entre a música, a arte a cultura e até a gastronomia de ambos os países.

Eliana Silva
Eliana Silva é Diretora de Comunicação na YoungNetwork Group Moçambique créditos: DR

Marginal de Maputo até à Avenida 10 de Novembro: aqui nada melhor do que fazer uma bela caminhada, bem cedo - às 5h30 considerando que a maior parte das instituições públicas e de ensino começam a funcionar às 7h30 - ou a partir das 17h, para apanhar o nascer ou o pôr-do-sol, respectivamente. O sol é igual em todo o lado mas não há nada igual a um pôr-do-sol em África. Há uma onda quente em tons de vermelho que abraça a cidade.

Bairro da Mafalala: O berço do Eusébio, bem no centro da cidade de Maputo, é um bairro bem característico aonde, actualmente, se fazem visitas guiadas. É uma referência no cenário cultural nacional, já que foi o bairro de crescimento de escritores como José Craveirinha. Tanto que ainda hoje em dia se sente uma ‘vibe’ diferente vinda da Mafalala.

Ponta de Santa Maria. Sabem quando chegamos (na foto principal deste artigo).

Santa Maria
Santa Maria créditos: Eliana Silva

No país:

Inhambane, a terra de boa gente. A província mais a norte do sul do país. A hospitalidade dos moçambicanos é incrível e é em Inhambane que existe o fantástico arquipélago de Bazaruto, um paraíso perdido no Índico. Para quem procura diversão na praia num modelo completamente diferente, pode sempre perder-se no Bilene, uma lagoa no Distrito de Macia, óptima para férias em família ou para desportos aquáticos.

Pemba. A capital da província de Cabo Delgado.

Acima de tudo, é importante que cada visitante tenha consciência da diversidade de Moçambique. São mais de 2500 km de costa marítima com várias influências culturais, com hábitos gastronómicos diferentes e com um sem número de línguas culturais. Nada como aprender algumas palavras em changana, para quem visita o sul, ou em macua, para quem vai para o norte.

Nampula
Nampula créditos: Eliana Silva

LOCAIS PARA COMER: 

Restaurante Zambi: um restaurante de referência em Maputo, especialmente pela qualidade e especificidade dos pratos. Um sítio tipicamente moçambicano mas com um menu com preços acima da média. Além do atum braseado, os ceviches de lagosta ou o gelado de Amarula são delícias que vos vão fazer salivar durante dias.

Dhow: O casamento perfeito entre a cozinha grega e a moçambicana. Com uma localização super privilegiada, o Dhow oferece aos seus visitantes um dos pores-do-sol mais bonitos de Maputo. Enquanto da cozinha vêm maravilhas como chamussas de caranguejo ou de queijo e mel, cá fora pode aproveitar toda a loja de decoração para gastar os seus meticais, enquanto o chá de balacate – chá príncipe – não chega.

FEIMA: Para provar a verdadeira cozinha moçambicana, nada melhor como ir até à FEIMA – a Feira de Arte de Gastronomia – e passar uma tarde bem entretida entre compras do artesanato local – nunca se esqueça de discutir o preço – e a bela da cerveja nacional. Num dos restaurantes pode comer o melhor caril de amendoim da cidade. Não pense que foi enganado ao tentar procurar pedaços de amendoim no seu prato; o molho do caril é feito com amendoim moído mas é um prato de frango. Acompanhe com xima, farinha de milho branca, e pode escolher entre as várias cervejas nacionais. A minha escolha varia entre a 2M ou a Manica mas sugiro uma ‘Preta’ – Laurentina Preta para os apreciadores de cerveja preta.

COISAS PARA FAZER:

Compre capulanas, castanha caju e amendoim para oferecer.

Moçambique
créditos: Eliana Silva

Comer na praia da Costa do Sol e beber uma 2M ou uma Laurentina preta.

Curta no Mercado do Peixe: a emoção de escolher o peixe ou marisco e vê-lo chegar pronto a comer é fantástico. Só tem que ser paciente porque será uma acção que vai durar a tarde toda.

DICAS EXTRA:

A cidade de Maputo é relativamente grande e além dos transportes públicos – chapas ou machibombos – há táxis e ‘txopelas’, os conhecidos tuk-tuk. Além do condutor, cada txopela transporta até 3 pessoas. Se puder, opte sempre por esta opção não só porque é mais barato mas porque permite-lhe gozar a cidade de outra forma.

Se tiver oportunidade, aproveite para ver um jogo de basquetebol feminino. As ‘Samurais’ são a grande atracção desportiva moçambicana, sendo já vice-campeões africanas.

Nas compras de rua ou no preço dos transportes privados, discuta sempre o preço que lhe é dado, sempre. sempre, sempre.


Sobre o especial Mundo em Português


Queremos reunir as melhores dicas de viagens dos portugueses que vivem fora. Se este é o seu caso, entre em contacto connosco através do e-mail sapo.viagens@sapo.pt, para receber o nosso questionário. As respostas serão, depois, publicadas num artigo do SAPO Viagens.