LOCAIS PARA IR:

O Palácio de Tokyo foi construído para a exposição universal de 1937 e é um verdadeiro templo de Arte Contemporânea. Excelente programação e as exposições raramente desiludem.

Palácio de Tokyo
Palácio de Tokyo créditos: Lígia Anjos

O espaço cultural 104 recebe todo o tipo de criação é, aliás, espaço de criação artística por excelência. Respira liberdade, transmite leveza e quase nos obriga a dar um passo de dança nos corredores cheios de cor, musica e dança.

Para o final do dia, passear no jardim de Buttes Chaumont. Não esquecer o piquenique e bebidas - durante o verão há alturas em que fica aberto a noite toda e vale a experiência.

Lígia Anjos
Lígia Anjos

LOCAIS PARA COMER: 

Para quem procura gastronomia francesa recomendaria o Le Petit parisien, no 28 Rue Tholozé, 75018 Paris - os preços são ligeiramente superiores à média.

Ainda na gastronomia francesa, mas com preçário mais razoável Les Novices, 123 Rue Caulaincourt, 75018 Paris - a música é boa e o ambiente descontraído. Têm cocktails óptimos, não esquecer a Happy Hour.

No Marais, recomendo uma paragem no restaurante tipicamente libanês com gastronomia oriental. Chez Marianne não engana nem em qualidade, simpatia e bom ambiente - 2 Rue des Hospitalières Saint-Gervais, 75004 Paris.

Terrass Hotel
Terrass Hotel créditos: Lígia Anjos

COISAS PARA FAZER:

Ir tomar um refresco ao final da tarde ao Hotel Particulier de Montmarte. É um magnífico jardim escondido onde esquecemos que estamos no centro de Paris.

Estruturas arquitectónicas a não perder : a Philharmonie de Paris, a Fundação Louis Vuitton e o Théâtre des Bouffes du Nord.

Ir tomar um refresco ao Terrass-Hotel, tem uma incrível vista panorâmica para a cidade nos números 12-14 Rue Joseph de Maistre, 75018 Paris ou, ainda, percorrer o Canal Saint-Martin e ir jogar ping-pong no Point Ephémère - 200 Quai de Valmy, 75010 Paris.

UMA ATRAÇÃO MUITO TURÍSTICA QUE PODE SER TROCADA:

Subir à Torre Eiffel, a vista não é a mais interessante e perdem-se demasiadas horas nas filas de espera. Recomendo que subam a Torre Montparnasse e que tomem um refresco com vista para a cidade - um plano bem mais interessante, e menos cansativo. Caso tenham visitado o Palácio de Tokyo ou tomado um refresco no Tersas-Hotel terão visto a Torre Eiffel nas melhores perspectivas.

Vista da Torre Montparnasse
Vista da Torre Montparnasse créditos: Lígia Anjos

DICA EXTRA:

Não esquecer que a França vive em estado de emergência e que há controlo em qualquer espaço turístico, mas não só. Na maioria das entradas em espaço fechado haverá controlo de malas.

Não pensar que se poupa em tempo e dinheiro ao ficar hospedado na periferia, o peço dos transportes para o centro da cidade podem, muito rapidamente, ficar mais caros do que o preço de hotéis, pousadas ou airbnb no centro de Paris.


Sobre o especial Mundo em Português


Queremos reunir as melhores dicas de viagens dos portugueses que vivem fora. Se este é o seu caso, entre em contacto connosco através do e-mail sapo.viagens@sapo.pt, para receber o nosso questionário. As respostas serão, depois, publicadas num artigo do SAPO Viagens.