LOCAIS PARA IR:

Patershol: É um bairro medieval onde pode apreciar a arquitetura flamenga e os diversos cafés, restaurantes e lojas de comércio local.

DOK: É um mercado ao ar livre na antiga doca de Gante (Gent, em flemish). A Flandres foi no passado um dos principais locais de troca e comércio na Europa, e ainda que menos activo nos dias que correm, o porto de Gent deu lugar a um mercado de domingo onde tudo se comercializa: roupas e objetos em segunda mão, discos e agricultura biológica de produtores locais. Tudo isto com bandas locais que tocam ao ar livre e por vezes teatro de rua.

Pink Flamingo's: É um café decorado com coisas de segunda mão dos anos 50. O tema muda a cada três meses à vontade do dono. Num dia pode ser a Penélope Cruz e noutro a celebração do burlesco. É um local de culto para músicos e artistas da cidade e inclui concertos que vão do jazz ao flamengo.

Café Video: é um bar de culto que recebe os melhores DJs da cidade.

Voorui: É um café situado num edifício criado pelo movimento socialista em 1913. Para além das mesas em mármore e o staff simpático, tem um terraço onde se pode sentar e desfrutar da vista num dia solarengo.

Mundo em Português, Gent
Ana Margarida Carvalho no DOK, em Gent créditos: Ana Margarida Carvalho

LOCAIS PARA COMER: 

Amadeus: Para amantes de carne e quantidade o Amadeus é uma cadeia de ribs (costelinhas) à volonté (à discrição) em molho de mel e com uma batata recheada em molho de caril que é na verdade o que torna o prato muito especial. Pode encontrar esta cadeia em praticamente todas as cidades belgas: Bruxelas, Antuérpia ou Liége. Só em Gante há três. A atmosfera é muito "loucos anos vinte", talvez porque o ritmo do restaurante é acelerado, decorado com veludos, espelhos, cristais e abajures que, juntamente com o jazz como música de fundo, proporcionam uma viagem no tempo. É também muito acessível em termos de preço. E é delicioso.

Para os fãs de comida vegetariana o Komkommertijd que traduzido quer literalmente dizer "tempo de pepino" é uma excelente opção. É difícil de encontrar, fica numa passagem estreita ao longo do canal - Reep 14. O teto é coberto por um telhado de vidro com um alpendre do lado de fora e é despretensioso. Quase relembra uma cantina de escola. O buffet é bastante diversificado e colorido e não desaponta nem um apreciador de carne!

O terceiro local para uma experiência gastronómica é o 'T Oud Clooster. Este restaurante misterioso e com pouca luz é um local romântico ideal para aqueles dias de outono chuvosos. O sítio, que foi outrora um mosteiro, está mobilado com peças antigas e é o locar ideal para provar a especialidade gastronómica de Gante, o estufado de carne de vaca (em flemish, "stoverij"). A carne é cozinhada em cerveja preta Chimay e acompanha com as famosas frietjes - batatas fritas - que são, juntamente com a cerveja, uma marca de identidade nacional.

COISAS PARA FAZER:

Um passeio de barco pelos canais do rio Leie. E/ou o kayaking.

Visitar a obra de Van Eyck na Catedral de St. Bavo (São Bavão). Van Eyck foi um dos artistas do movimento dos pintores primitivos flamengos, pioneiros na pintura a óleo entre o século XV e XVII. "Van Eyck Altarpiece" é um conjunto de vários quadros que foram desmantelados e escondidos e assim permaneceram até 1432, altura em que foram redescobertos. Uma parte continua ainda desaparecida mas vale a pena contemplar os detalhes e o realismo da obra.

Contemplar e atravessar as várias pontes que ligam o centro histórico, se possível à noite. É de cortar a respiração. Constitui uma viagem à época onde as pessoas se deslocavam em carruagens, de sombrinha e monóculo.

Gent
Gent créditos: Ana Margarida Carvalho

UMA ATRAÇÃO MUITO TURÍSTICA QUE PODE SER TROCADA:

A Catedral de St. Bavo, assim como muitas igrejas que constam dos roteiros turísticos, embora não dispensem uma visita para contemplar as fachadas, podem ser trocadas pelo Holy Food Market, na minha opinião. Apesar de inicialmente ser também uma igreja, este edifício foi recentemente transformado num mercado com iguarias de todo o mundo, desde a Rússia até ao Líbano, e até há a "taberna Lisboa", com natas e bolinhos de bacalhau, que me dá um gostinho de Portugal quando as saudades apertam.

DICA EXTRA:

Geralmente, os restaurantes e cafés não servem brunch a partir da uma da tarde e as lojas começam a fechar 10 minutos antes da hora anunciada. Assim, se passar uma noite a apreciar a gastronomia e cerveja belgas, e estiver a planear aquele fabuloso brunch do dia a seguir, saiba que tem de ser atempado(a). Em relação às lojas, entrar muito próximo da hora de fecho é considerado rude, por isso se for às compras não vá à última da hora. Em vez de um sorriso receberá um tratamento mais distante.