Monte Testaccio, Roma, Itália


Nos tempos da Roma antiga, os jarros de terracota, também conhecidos por ânforas, eram utilizados para guardar de tudo um pouco (azeite, vinho ou água) e também eram usados para transportar azeite pelo grande Império Romano. Mas para onde iam os jarros partidos? Muitos, eram despejados num antigo porto de Roma e ainda hoje é possível apreciar este lixo cheio de história. A gigante pilha de jarros de terracota da época do Império é composta por, aproximadamente, 53 milhões de ânforas.

Monte Testaccio
Monte Testaccio créditos: Steve Browne & John Verkleir/CC BY 2.0

Le Petit-Paris, Vaissac, França


É uma maquete de Paris, com vários pontos importantes da cidade, toda construída com materiais reciclados, como latas, frascos, entre outros objetos que, de outra forma, acabariam no lixo. Gerard Brion é o homem por trás deste projeto, que tem vindo a construir ao longo de duas décadas.

Le Petit-Paris
Le Petit Paris créditos: Gérard Brion/GNU

Santuários de Difunta Correa, San Juan, Argentina


Estes santuários insólitos, rodeados de garrafas, em homenagem a Difunta Correa podem ser encontrados nas estradas de San Juan, Argentina. Conta a história que Difunta Correa morreu de desidratação quando estava a viajar com a filha. Quando foi encontrada, a criança ainda estava viva, a mamar do peito da mãe, já sem vida. Difunta Correa foi sepultada num santuário em cima de uma colina e vários outros santuários começaram a aparecer pela região. Deixar uma garrafa vazia é visto como uma oferenda à santa que abençoa os viajantes.

Santuário de Difunta Correa
Santuário de Difunta Correa créditos: U. Schlosser/CC BY-SA 3.0

Glass Beach, Califórnia, EUA


O efeito criado por milhares de pedaços de vidro que se misturam com os seixos desta praia californiana deu-lhe fama mundial. Mas se hoje este é um local bonito, o fenómeno aconteceu por um hábito feio. No início do século XX, os habitantes da cidade de Fort Bragg despejavam o lixo para o mar, perto do que é hoje a Glass Beach (Praia de Vidro). Com o passar dos anos, após mudanças de hábitos, mentalidades e limpezas, sobrou aquilo que o mar moldou: os pequenos pedaços de vidro coloridos e arredondados.

Glass Beach
Glass Beach créditos: John Krzesinski/CC BY 2.0

Bramme For The Ruhr-District, Essen, Alemanha


Uma obra de arte no topo de uma montanha de resíduos de mineração. A escultura em aço é uma peça do artista norte-americano Richard Serra que tem como objetivo homenagear a indústria de minas de carvão da região.

Bramme For The Ruhr-District
Bramme For The Ruhr-District créditos: Jesse Krauß

Parque do Buçaquinho, Ovar, Portugal


Este agradável parque de 24 hectares foi, durante 15 anos, uma Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), que recebia todo o saneamento da parte norte do concelho de Ovar. O local sofreu obras e foi transformado num parque de lazer aberto à população. Hoje, quem circula pelos corredores verdes do Buçaquinho já nem sem lembra da antiga função daquele espaço.

Parque Natural do Buçaquinho
Parque Natural do Buçaquinho créditos: CM Ovar

Descubra aqui outros destinos onde o lixo é a atração turística.