Não é preciso passar muito tempo em Washington D.C. para percebermos que esta não é uma cidade aborrecida. Para além dos monumentos e do dinamismo impresso por uma sociedade civil vibrante, a cidade oferece ao viajante uma larga panóplia de experiências. Por exemplo, os amantes da caminhada ou da bicicleta podem encontrar na capital norte-americana quilómetros e quilómetros de trilhos que combinam áreas abertas com florestas habitadas por esquilos, coelhos e guaxinins. Esses trilhos formam um grande percurso – Fort Circle Park – que percorre o perímetro da cidade.

Sobre as origens do Parque

Fort Circle Park
créditos: TrailVoice/CC

A República dos Estados Unidos da América nasceu nos finais do século XVIII e, para evitar rivalidades – sobretudo entre Filadélfia e Nova Iorque – decidiu-se criar o distrito federal e criar uma capital de raiz. Em 1800, como alguns edifícios públicos já estavam prontos (era o caso do Capitólio e da Casa Branca), a cidade pôde acolher o Presidente John Adams e o Congresso. Mas, durante muitos anos, a capital federal esteve vulnerável de um ponto de vista militar. Os britânicos exploraram este facto em 1814 (durante o conflito militar que ficou conhecido como Guerra de 1812) e, em 24 de Agosto, as tropas comandadas pelo Major General Robert Ross incendiaram a cidade.

Mais tarde, quando a Guerra Civil começou, na primavera de 1861, Washington estava igualmente vulnerável. Havia apenas um forte no rio Potomac que se destinava a proteger um ataque anfíbio. Como centro da causa da União era essencial a criação de um perímetro defensivo, até porque o Estado da Virgínia, que ficava do outro lado do rio, apoiava os Confederados.

Perante esta situação, o governo tomou uma série de medidas para proteger a cidade e as linhas de abastecimento. A tarefa de construir um anel de fortificações foi confiada ao Major John G. Barnard do Corpo de Engenheiros. Quando a guerra acabou, o sistema contava com 68 fortes e 93 baterias ligadas por quilómetros de estradas e trincheiras.

Com o passar do tempo as defesas militares foram foi desativadas, o que permitiu a criação do Fort Circle Park.

O Fort Stevens

A estrutura mais famosa do sistema é o Fort Stevens, porque foi aí que aconteceu o único teste sério às defesas da cidade. Nos dias 11 e 12 de Julho de 1864, as tropas Confederadas comandadas pelo General Jubal Early fizeram um ataque a Washington e atacaram o perímetro defensivo nesse ponto.

Fort Stevens
créditos: Wikipedia

As defesas estavam enfraquecidas porque muitos soldados experientes tinham sido enviados para reforçar o ataque à cidade de Richmond. Curiosamente, o Presidente Lincoln esteve no Fort Stevens durante os combates. Esse local está assinalado com uma placa. Lincoln era um alvo apetecível para os atiradores Confederados e correu risco de vida: um cirurgião que estava ao lado dele morreu com um tiro!

O Battleground National Cemetery

Nas proximidades, pode-se visitar um pequeno cemitério militar onde repousam 40 soldados da União que morreram no ataque. Antes do combate esse sítio era ocupado por um pomar de pêssegos, mas na noite de 12 de Julho – pouco depois da retirada dos Confederados – as tropas da união usaram esta terra para enterrar alguns dos seus camaradas. Em 1936, a campa do veterano Major Edward Campbell foi adicionada. Visitantes podem ver outros artefactos interessantes como armas da Guerra Civil, a Casa do Zelador e um Memorial às companhias de voluntários que lutaram pela União na Batalha de Fort Stevens.

Battleground National Cemetery
créditos: Wikipedia

Quer saber mais sobre o Fort Circle Park e Washington durante a Guerra Civil? Experimente a aplicação JiTT Lincoln & Civil War Tour para guiá-lo nos caminhos desta agradável e surpreendente cidade.