O Sri Lanka é, sem dúvida, um dos países mais fascinantes que visitei até hoje. Na terra do chá e das especiarias, encontrei paisagens cobertas de mantos verdes de perder de vista, praias dignas de postal, uma história milenar e um povo sempre de braços abertos para quem o visita. Não é de admirar que o seu nome em sânscrito signifique “ilha resplandescente”. Abaixo encontra uma lista com 10 locais a não perder no Sri Lanka para que aproveite ao máximo a sua viagem por este país magnifico.


Colombo

A capital do Sri Lanka está localizada na costa Oeste do país e, como todas as grandes cidades na Ásia, é uma cidade com um trânsito caótico e um estilo de vida intenso. Os grandes arranha-céus contrastam com a herança arquitectónica de centenas de anos espalhada pela cidade, composta por antigas casas coloniais, igrejas de inspiração europeia (portuguesa, holandesa, britânica) e estruturas militares centenárias. É um destino que contrasta largamente com o ambiente mais modesto, rural e humilde do resto do país.

Sugestão de alojamento: Hotel ACA

Colombo
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Kandy

A cidade de Kandy está localizada no centro do Sri Lanka e foi, em tempos, a capital do país. Inserida no meio de plantações de chá, montanhas densamente florestadas e caracterizada pelo grande lago à volta do qual foi estabelecida, Kandy é também o lar de um dos maiores templos do Sri Lanka e um dos mais importantes da religião budista: o Templo do Dente Sagrado, que se diz albergar um dente de Buda. A viagem de comboio de Colombo para Kandy é uma experiência especial só por si, oferecendo paisagens magnificas pelo caminho.

Sugestão de alojamento:  Gruhaya Boutique Villa

Kandy
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Ella

A viagem de comboio de Kandy para Ella é, sem dúvida alguma, um dos pontos altos de uma viagem no Sri Lanka. As paisagens são de tirar o fôlego: colinas, vales e montanhas cobertos por um manto verde de perder de vista. A cidade de Ella é um paraíso para amantes de caminhadas e trekkings. Lá poderás subir até ao topo do Little Adam’s Peak ou até ao topo do Ella’s Rock, estar perto de cascatas ou assistir ao comboio a passar por cima da magnifica Nine Arches Bridge. As caminhadas pela linha de comboio (apesar das placas de proibição na estação de comboios) fazem também parte da experiência.

Sugestão de alojamento: Ella Rock House

No topo do Little Adams Peak (Ella)
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Nuwara Eliya

Nuwara Eliya foi em tempos um refúgio para os britânicos e escoceses que trabalhavam na indústria do chá no Sri Lanka por, devido à sua elevada localização nas colinas, oferecer temperaturas mais frescas do que no resto do país. Aqui encontra cascatas, plantações de chá, parques e jardins, campos de golfe e pistas de corridas, sendo também uma boa base para exploração do famoso World’s End, no Parque Nacional de Horton Plains.

Sugestão de Alojamento: Nuwara Eliya Hills Rest

Nuwara Eliya
créditos: www.therock.lk

Adam’s Peak (Sri Pada)

O Adam’s Peak é um dos mais importantes locais de peregrinação religiosa do mundo. Todos os anos, de Dezembro a Maio, milhares de peregrinos acorrem a esta montanha com 2,243 de altura, para subir os 5000 degraus que levam até ao topo. No topo encontra-se uma pegada sagrada. Os budistas alegam que é uma pegada de Buda, os hindus de Shiva e os católicos de Adão. Seja de quem for a pegada, a vista do topo (principalmente ao amanhecer) é absolutamente magnífica. As caminhadas são normalmente iniciadas de madrugada, por volta das 2h/3h da manhã, sendo o topo alcançado um pouco antes do nascer do sol, pelas 5h. Para evitar o “trânsito” típico da época da peregrinação, aconselha-se a fazer a caminhada no período entre Junho e Outubro, no entanto nessa altura, o caminho não se encontra iluminado, sendo necessário levar uma lanterna. É possível ir parando pelo caminho para ir ao wc ou para beber um chá quente. A cidade de Hatton é uma boa base para a sua exploração.

Sugestão de Alojamento: Princess of Dickoya (Hatton)

Adam's Peak (Sri Pada)
créditos: Sri Lanka Travel

Arugam Bay

Se o surf é a sua paixão então Arugam Bay não pode faltar num roteiro de viagem pelo Sri Lanka. Localizado na costa Este, é considerado o melhor spot de surf do país. A localidade em si é bastante pequena, com apenas algumas centenas de habitantes, oferecendo um ambiente mais calmo e descontraído. A época alta decorre de Junho a Outubro.

Sugstão de Alojamento: The Danish Villa

Arugam Bay

Triângulo Cultural

O Triângulo Cultural do Sri Lanka é composto por Anaradhapura, Polonnaruwa, Dambulla e Sigiriya. São destinos a não perder numa visita a este país, pela sua importância a nível histórico e cultural. Sigiriya foi mesmo um dos pontos mais altos da minha viagem pelo país. Em Dambulla encontras o Golden Temple e o fabuloso Cave Temple, repleto de figuras e pinturas religiosas que habitam estas grutas desde o século I. Em Polonnarwua e Anaradhapura terá a oportunidade de visitar uma série de ruínas milenares históricas e em Sigiriya encontra a famosa Lion’s Rock: um rochedo com cerca de 360mt onde no topo ainda é possível ver as ruínas de uma civilização milenar e usufruir de uma vista magnífica sobre a zona envolvente. Deambula é uma boa base de exploração do Triângulo.

Sugestão de alojamento: Sevonrich Holiday Resort (Dambulla)

Cave Temple (Dambulla)
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Praias da costa Sul

À procura de praias dignas de postal? Então siga em direcção às praias da costa Sul do Sri Lanka. Aqui encontra palmeiras gigantes que se dobram sobre o mar, pores-do-sol que nem precisam de filtro no Instagram, peixe grelhado comido com os pés enfiados na areia, água quentinha e ondas quase perfeitas para os amantes de surf. Mirissa, Hikkaduwa, Midigama, Ahangama e Weligama são algumas das praias que encontra neste lado do Sri Lanka. A costa é inteiramente percorrida pela estrada e linha férrea que liga Galle a Colombo, sendo extremamente fácil deslocares-se de zona em zona.

Sugestão de alojamento: Sooriya Sewana Guesthouse (Mirissa) e Sakara House (Ahangama)

Praia de Mirissa
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Galle

Galle é provavelmente uma das mais bonitas cidades do Sri Lanka, senão a mais bonita até. Por todo o lado encontram-se vestígios da presença e arquitectura colonial portuguesa, holandesa e britânica: desde o forte holandês, construído inicialmente pelos portugueses e fortificado posteriormente pelos holandeses (e a maior fortificação de origem europeia presente na Ásia), até à Catedral de St. Mary (construída por padres jesuitas), o Museu Nacional Marítimo ou o Porto de Galle. Por toda a cidade surgem agora pequenos hotéis de charme, lojas e restaurantes que contribuem para o ambiente mais artístico e sofisticado que esta tem vindo a adquirir. É sem dúvida um destino a incluir num roteiro de viagem pelo Sri Lanka.

Sugestão de alojamento: Chamalkas Rest

Dutch Fort (Galle)
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)

Parques Nacionais (safaris)

Se há uma coisa que não falta no Sri Lanka é vida selvagem com abundância, de várias espécies, tipos e feitios. E a melhor forma de ter contacto com esta vida selvagem é através de um Safari num dos vários Parques Naturais espalhados pelo país. O Yala é sem dúvida o mais popular e mais extenso Parque Natural de todos. Localizado na costa Sul, estende-se por uma área com cerca de 978 km2, encontrando-se a 300kms de Colombo. Aqui poderá avistar (entre outros) elefantes, leopardos, ursos, veados, chacais, crocodilos e uma enorme variedade de aves.

Na minha viagem optei por visitar o Parque Natural de Udawalawe, um parque natural com dimensões mais reduzidas, mas que por isso mesmo me ofereceu maiores probabilidades de avistamento de animais. Para além disso, por ser menos popular, pude usufruir de um ambiente mais calmo, com menos turistas e jeeps, no meio daquela natureza pura. Para além destes 2 Parques, existem ainda os Parques Wasgomuwa, Minneriya, Kaudulla, Wilpattu, entre outros.

Sugestão de Alojamento: Silent Bungalow

Parque Natural de Udawalawe
créditos: Maria João Proença (Joland Blog)